Passeio de barco até a FOZ DO RIO SÃO FRANCISCO

Publicidade

O Rio São Francisco é o segundo mais importante do Brasil, atrás apenas do poderoso Rio Amazonas. E, assim como seu irmão da região norte, ele está carregado de história e misticismo ao seu redor. Antes com as populações indígenas por milênios, e já há alguns séculos fazendo parte fundamental da vida de muita gente desde a colonização portuguesa.

Foto de um garoto pulando no Rio São Francisco

Garoto pula no Rio São Francisco, o mais importante do Nordeste. Foto da Foz, entre Sergipe e Alagoas.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Passando por cinco estados e mais de 500 municípios, o Velho Chico – como foi apelidado – afeta diretamente 16 milhões de pessoas entre sua nascente, na cidade mineira de Medeiros, e sua foz, que fica na alagoana Piaçabuçu. Isso após atravessar também terrenos baianos, pernambucanos e sergipanos. E ainda formando as divisas estaduais entre Bahia e Pernambuco e entre Sergipe e Alagoas. Com 3180 km, é o maior rio totalmente brasileiro, já que os outros que o superam em extensão (Amazonas, Paraná, Madeira-Mamoré e Purus) atravessam outros países. Não é pouca coisa.

Confira mais sobre a Foz do Rio São Francisco aqui!

E é justamente em seu trecho final, no encontro com o mar, que o Velho Chico guarda algumas de suas maiores belezas. O tour de catamarã pelos cânions, incluindo o mais famoso e exuberante Cânion do Xingó (como você pode ler aqui), atrai muitos turistas para as pequenas cidades de Canindé, em Sergipe, e Piranhas, em Alagoas. E seguindo mais adiante, Piaçabuçu e Penedo recebem ainda mais gente que faz o passeio de barco até a Foz do Rio São Francisco.

E para quem conhece o encontro do São Francisco com o mar alagoano e sergipano sempre se admira com a beleza de suas dunas, mata nativa e até mesmo ilhas fluviais. Então se prepare e saiba tudo sobre esse passeio que já é um dos mais populares em ambos os estados.

Como chegar à divisa dos Estados

É possível chegar rapidamente às duas cidades principais da Foz do São Francisco a partir tanto de Maceió quanto de Aracaju. A maioria das pessoas vai pelo lado alagoano, já que Penedo e Piaçabuçu ficam no estado, mas outros chegam do Sergipe para aproveitar outros passeios próximos como o Cânion do Xingó.

Confira um Roteiro de 3, 5 e 7 dias por ARACAJU e arredores

Para quem vai de Maceió, saindo do Aeroporto Internacional Zumbi dos Palmares, leva-se cerca de duas horas de meia de estrada para percorrer os 160 km até Piaçabuçu. E o caminho segue direto pela rodovia estadual AL 101, margeando o litoral na direção sul. Para chegar em Penedo, basta seguir para o interior margeando o Rio São Francisco por mais 30 km – em geral a maioria das pessoas prefere se hospedar por lá. Da capital alagoana também saem diversos passeios até lá, organizado por agências de turismo custando aproximadamente R$75 por pessoa. E no Terminal Rodoviário João Paulo II saem ônibus para as duas cidades – ele fica a 40 min do aeroporto. Mas é bastante fácil chegar por conta própria se preferir.

A partir de Aracaju, do Aeroporto Internacional Santa Maria são 130 km (duas horas e meia) até Penedo pela BR 101 e SE 335 – mas o trajeto é pelo interior, não pelo litoral. Ou os mesmos 130 km (mas feitos em três horas) até Piaçabuçu pelas rodovias estaduais SE 100 e SE 204 pela costa. Em ambos os casos é preciso tomar uma balsa com o carro para atravessar o Velho Chico, que forma a divisa natural entre os estados. Também existem ônibus saindo até lá, além de empresas de turismo fazendo o pacote. Muitos que partem desse lado também param na cidade Brejo Grande, ainda em Sergipe, onde existem barqueiros oferecendo o passeio até a Foz do São Francisco.

Quando ir ao Velho Chico

O período de maior seca na região da Foz do Rio São Francisco acontece entre outubro e fevereiro. Assim, é a melhor época para realizar o passeio sem o risca de ter o dia estragado pelas chuvas. Em geral, por se tratar do Nordeste, já não costuma chover muito e as precipitações ocorrem um pouco mais entre maio e julho. Fugindo desses meses é difícil dar o azar de pegar tempo chuvoso por lá.

Reserve seu hotel ou pousada aqui!

A alta temporada deixa tudo mais cheio, e o passeio até a Foz também sente isso. Em férias escolares, finais de semana e feriados, mais ainda. O ideal é ir em outubro ou novembro, senão em fevereiro. Embora vá haver bastante gente, nada se compara ao número de turistas que chega em janeiro em Penedo, Piaçabuçu e região.

O passeio até a Foz do Rio São Francisco

O principal ponto de saída para os barcos que fazem o passeio é mesmo em Piaçabuçu. A cidade é considerada a sede da foz do Velho Chico O pequeno vilarejo de 20 mil habitantes ganhou fama por receber as filmagens do filme “Deus é Brasileiro” anos atrás. Hoje, atrai grande número de turistas buscando percorrer suas águas até o encontro com o mar e apreciar as belezas do caminho. E são muitos os pescadores locais que sobrevivem fazendo esse bico também – já que a pesca vem diminuindo cada vez mais no rio. Em geral, são mais baratos do que os contratados por agências de turismo.

Você está conferindo informações do passeio de barco até a FOZ DO RIO SÃO FRANCISCO. Se está gostando das dicas, compartilhe no seu Facebook, ou tuíte, e convide os amigos!

Compartilhe no FacebookCompartilhe no Twitter

No cais de Piaçabuçu estão muitos deles e é possível negociar os preços, em frente ao Mercado Municipal do povoado. Ao longo do rio, a mata nativa cerca as margens e traz os tons de verde para o cenário. Ao largo, também vão surgindo as dunas e os coqueiros para deixar a paisagem ainda mais incrível. E mais uma hora e meia curtindo todo esse espetáculo da natureza, totalizando três horas de passeio.

Confira todas as imagens desse passeio em 360 graus aqui!

No delta em si, formam-se lagoas de água bem azul em meio a um enorme banco de areia com coloração bem dourada. Para quem vai por conta própria, no período da tarde, ainda é possível curtir um pôr do sol inesquecível na Foz do Rio São Francisco em meio às dunas. O que não pode ser feito caso o passeio se dê com o catamarã maior, somente com os pescadores locais em barcos menores e sem hora certa para o fim.

Quem vai com os barquinhos também pode tentar parar em uma ilha presente no meio do rio em que antigamente havia um povoado sergipano. Ainda há um farol abandonado pelos antigos moradores, que foram se vendo obrigados a sair dali com o passar do tempo.

Durante o percurso no rio, há paradas para mergulho e para conhecer as imensas dunas, que dominam a paisagem no encontro das águas do rio com o mar. Cenário de cinema que rendem as mais lindas fotos do passeio!

Imagem de casa ribeirinha do Rio São Francisco.

Casa ribeirinha e o verde intenso da orla e da água do Rio São Francisco.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Foto da praia na Foz do Rio São Francisco.

A praia de parada para mergulhos e as dunas que dominam a paisagem na Foz do Rio São Francisco.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Foto do Farol abandonado na Foz do Rio São Francisco.

O antigo Farol abandonado que deixa a paisagem exótica na Foz do Rio São Francisco.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

O povo local vende artesanatos na beira do rio, além de quitutes típicos como cocadas e bolo de aipim. Não existem muitos restaurantes ou bares em Piaçabuçu, então é válido levar seu próprio lanche para o passeio. Para quem vem do lado sergipano, o mesmo acontece na pequena Brejo Grande.

Para quem preferir contratar o passeio em Aracaju ou Maceió, geralmente as agências de viagem oferecem o traslado até Piaçabuçu, o catamarã e uma refeição inclusa – as bebidas precisam ser compradas à parte. Com saídas de manhã cedo e retorno previsto para o fim de tarde por conta da distância entre as capitais e o vilarejo.

Veja também o passeio pelos Cânions do Xingó

Com a sorte de um tempo aberto e bastante sol, a paisagem na Foz do São Francisco fica ainda mais exuberante. Não só pelo encontro do rio com o mar, mas também por todas as armações da natureza que se juntam ali: coqueiros, dunas, bancos de areia, lagoas naturais, ilhas e tudo mais… definitivamente de tirar o fôlego.

Para quem tem um tempinho a mais e não viajou de bate e volta com as agências, é possível visitar Penedo. Os turistas que escolhem ficar mais de um dia na região geralmente se hospedam por lá, já que a cidade é histórica e tem mais estrutura. Com muitas igrejas e o Forte da Rocheira para visitar, é um belo complemento para essa viagem incrível.

***
O Rio São Francisco possui uma imponência e uma aura que atraem muita gente há décadas. Agora, com a facilidade em se acessar passeios incríveis por lá como até a sua foz ou o para o Cânion do Xingó, cada vez mais brasileiros estão tendo a oportunidade de conhecer suas belezas. Aproveite e visite essa maravilha da natureza tão importante para a economia do Nordeste e do Brasil!

Por Guia Viagens Brasil Texto: Fotos:  27 de Fevereiro de 2018

Receba dicas de viagem


Insira seu email para receber artigos exclusivos e dicas de passeios imperdíveis!





Gostou? Divulgue este artigo para seus amigos!

DICAS RECENTES DO BLOG

Procurando dicas de viagens pelo Brasil?
Cadastre seu email e receba dicas exclusivas:

Editorial - Contato - Anuncie Grátis - Área de Anunciantes - Seja um colaborador

© Copyright 2013 - 2018 - Guia Viagens Brasil - Mapa do Site