Caminho do Sol – o “Caminho de Compostela” do Brasil

Publicidade

Você já deve ter escutado falar do Caminho de Santiago de Compostela, famoso percurso feito por peregrinos desde o século IX, em romaria pelas relíquias do apóstolo Santiago. O trajeto inteiro corta a Espanha e a França em 800 quilômetros e pode ser feito por semanas a pé, de bicicleta ou de carro (este último em alguns trechos apenas). Além das heranças religiosas encontradas pelo caminho, muitos peregrinos vão à Compostela para conhecer a história e cultura do lugar.

Aos que ainda não têm condições financeiras e/ou físicas de cumprir esse trajeto, há uma “versão” brasileira pouco conhecida, mas com muitas belezas também. O Caminho do Sol fica no interior de São Paulo e percorre 240 quilômetros entre algumas das cidades do interior. Se você ainda não conhecia o destino, veja o porquê ele pode ser a sua próxima peregrinação.

Independente da menção religiosa, você com certeza se apaixonará pela atração. Saiba mais.

Como surgiu o Caminho do Sol

Em 2001 o empresário José de Palma criava na cidade de Águas de São Pedro o Caminho do Sol. A ideia era ter um caminho a ser percorrido por pessoas de todas as idades e partes do mundo, necessitadas de momentos maiores de introspecção e total liberdade de necessidades materiais. O local recebe de braços abertos todos aqueles que são apaixonados por longas caminhas e as usa para refletir sobre diversos aspectos de suas vidas.

family-810297_1280

Sim, o Caminho do Sol teve inspiração total no Caminho de Santiago de Compostela! A geografia do espaço, a atmosfera e também a qualidade de vida das cidades que você encontrará pelo caminho são bem similares entre os dois trajetos de romeiros.

A primeira grande peregrinação feita no Caminho do Sol aconteceu com 94 caminhantes que traziam uma imensa imagem de Santiago, doada por Jesus Jato e sua mulher Mari Carmen, dois grandes personagens que marcaram a história do Caminho de Santiago, na França. Essa ainda ilustra a cidade de Águas de São Pedro, onde pode ser visitada na Casa de Santiago, ponto final do Caminho do Sol.

Jornada religiosa e cultural com total contato com a natureza

O Caminho do Sol foi pensando em proporcionar um contato maior do peregrino consigo mesmo e também com a natureza. Por todo o caminho há atrativos de tirar o fôlego e também um pouco de cultura e história da região. É, de fato, um destino completo! Você já começa a aventura com conhecimento, pois há uma palestra na cidade de Santana de Parnaíba – início do percurso –, organizada pelo próprio José de Palma.

Nesse primeiro encontro ele conta um pouco sobre a proposta do Caminho do Sol, como o lugar foi construído e dá todas as orientações possíveis para o peregrino encarar o trajeto sem medo e dificuldades. Essa palestra de orientação não é obrigatória, mas é essencial, principalmente se for a sua primeira vez no lugar. Há um valor cobrado por pessoa, que deve ser pago antecipadamente por transferência ou depósito bancário. As informações podem ser encontradas no site do Caminho do Sol (www.caminhodosol.org.br). É muito importante você agendar, pois há vagas limitadas para o encontro.

Você está conferindo o roteiro do Caminho do Sol, no interior de São Paulo. Se está gostando das dicas, compartilhe no seu Facebook, ou tuíte, e convide os amigos!

Compartilhe no FacebookCompartilhe no Twitter

Cidades pelo Caminho do Sol

A segunda parada é na cidade de Pirapora do Bom Jesus, onde dá para encontrar alguns casarões antigos, datados do século 17 e também uma pequena e graciosa comunidade. Daqui, segue-se na ordem para Cabreúva, Haras do Mosteiro em Itu e San Marino em Salto. Você pode parar um pouco em cada uma dessas cidades e apreciar as belezas do caminho. Muitas são apenas para recarregar as forças e seguir.

Mapa do Caminho do Sol. Fonte: Portal Cidades Paulistas.

Mapa do Caminho do Sol. Fonte: Portal Cidades Paulistas.

Elias Fausto é a próxima cidade e daqui você segue até Capivari, onde deve parar para conhecer a Fazenda Milhã, a maior e mais conhecida da região. Depois de um tempo desbravando essas terras, passe por Mombuca, onde você pode aproveitar um tempo no Clube Arapongas. Siga então para Monte Branco, Piracicaba – onde você passará pelo agradável distrito de Artemis – e, por fim, chegará em Águas de São Pedro, ponto final da peregrinação.

Trechos e suas quilometragens

1. Santana de Parnaíba a Pirapora –  14 km

2. Pirapora do Bom Jesus a Cabreúva – 24km

3. Cabreúva ao Haras do Mosteiro (Itu)  – 24km

4. Haras do Mosteiro a San Marino (Salto) – 28 km

5. San Marino a Elias Fausto – 14 km

6. Elias Fausto a Fazenda Milhã – (Capivari) 21km

7. Fazenda Milhã a Mombuca – 20km

8. Mombuca ao Clube Arapongas – 24km

9. Clube Arapongas a Monte Branco – 24km

10. Monte Branco a Artemis (Piracicaba) – 24km

11. Artemis a Águas de São Pedro – 24km

Em todo o trajeto você encontrará pequenas vilarejos e essa ação é, inclusive, intencional. A ideia do Caminho do Sol é proporcionar um contato completo do viajante com a natureza e a cultura de todo o percurso. Você poderá experimentar sensações e gostos que nunca imaginou existir. É exatamente aí que vive a mágica do lugar.

Assim como acontece no Caminho de Santiago de Compostela, a hospitalidade das pequenas comunidades que você encontra pelo caminho é mais um presente que se ganha do trajeto.  Todos estão sempre dispostos a ajudar, dar comida, água e muito carinho por quem passa pelas cidades nestes 11 dias dos 240 quilômetros que é o Caminho do Sol.

Investimento

Por questão de orientação e segurança, cobram-se algumas taxas para os peregrinos que querem encarar o Caminho do Sol. Nessa incluem-se:

  • Kit inscrição do caminhante: um kit com seguro contra acidentes, da Companhia Porto Seguros; Passaporte do Sol, que é a sua identificação como peregrino; Porta-passaporte, para que o documento não estrague pelo caminho; Gargantilha de madeira com uma seta na cor amarela cravada, que é o símbolo do Caminho do Sol.
  • Guia de todo o trajeto impresso;
  • Um cajado personalizado por pessoa;
  • Diárias em pousadas e albergues. Algumas incluem pensão completa, onde você tem direito à todas as refeições do dia, podendo explorar a cidade em que está com menos dificuldades.

Todas as orientações e valores do investimento para o Caminho do Sol também podem ser encontradas no site (www.caminhodosol.org.br) do projeto.

Realizando o trajeto

Dá para realizar o Caminho do Sol de duas formas: caminhando e pedalando. Para cada uma há uma forma e um percurso diferente. Essa foi uma maneira que os organizadores acharam para deixar o trajeto mais limpo, sem “engarrafamento” e também contratempos. Dessa forma, você pode ter momentos mais reservados, sem muitos caminhantes ao redor, mesmo que seja uma época de grande circulação pelas cidades.

É importante seguir todas as orientações do site (www.caminhodosol.org.br) para quem quer caminhar e para quem quer pedalar.

O Caminho do Sol é um percurso mágico do começo ao fim! Além de poder usufruir de uma série de atrativos naturais, os peregrinos ainda encontram placas com mensagens positivas pelo trajeto. Todas são para refletir, aplicar nos dias de peregrinação e também para a vida inteira. Experimente!

Por Guia Viagens Brasil Texto: Fotos:  07 de novembro de 2015

Receba dicas de viagem


Insira seu email para receber artigos exclusivos e dicas de passeios imperdíveis!





Gostou? Divulgue este artigo para seus amigos!

DICAS RECENTES DO BLOG

Procurando dicas de viagens pelo Brasil?
Cadastre seu email e receba dicas exclusivas:

Editorial - Contato - Anuncie Grátis - Área de Anunciantes - Seja um colaborador

© Copyright 2013 - 2018 - Guia Viagens Brasil - Mapa do Site