Festa Literária Internacional de Paraty: arte e cultura

Publicidade

“Um escritor para o século 21”. Este é o tema da Festa Literária Internacional de Paraty, que acontece de 1 a 5 de julho na charmosa cidade do litoral do Rio de Janeiro.

As ruelas calçadas de paralelepípedo e os casarios coloniais formam o cenário ideal para a Flip, evento criado em 2003 que traz para debate grandes escritores mundiais. Mesas literárias são formadas para discutir temas do ano. Além disso, há sessões de teatro e cinema na chamada FlipMais.

Calçadas em paralelepípedo, as ruelas de Paraty lotam no período da Flip. Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Calçadas em paralelepípedo, as ruelas de Paraty lotam no período da Flip.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

As crianças também têm espaço garantido na Flipinha, uma programação paralela com histórias incríveis da literatura infanto-juvenil.

O público que participa da abertura da Flip também curte shows de MPB, com nomes famosos da música nacional.

Flip 2015

O homenageado de 2015 é o poeta, escritor, crítico literário, musicólogo, folclorista e ensaísta brasileiro brasileiro Mário de Andrade, justamento o ano em que completa 70 anos de sua morte.

Mário de Andrade foi um dos principais nomes do movimento modernista brasileiro e ajudou a organizar a polêmica Semana de Arte Moderna de 1922. Entre suas obras mais importantes, vale destacar “Amar, verbo intransitivo”, “Macunaíma” e “Paulicéia Desvairada”, este último livro, inclusive, marca o começo do modernismo literário brasileiro.

Polêmicas não faltam na Flip 2015. Outros autores polêmicos já estão com participação confirmada. O primeiro é Roberto Saviano que escreveu “Gomorra”, um best-seller sobre a máfia italiana e por isto está jurado de morte. O queniano Ngũgĩ wa Thiong’o, que já foi cotado para o Nobel de literatura, também estará na Flip. Ele é ativista político, foi preso e escreveu um romance usando papel higiênico no lugar das folhas. Além disso, a Feira terá o cubano Leonardo Padura nas mesas de discussão. O consagrado escritor, jornalista, diretor e roteirista cubano escreveu o sucesso “O homem que amava os cachorros”.

Além das discussões literárias, a Flip tem na programação teatro, música e oficinas.

Paraty Cultural

Após enriquecer seu conhecimento sobre literatura na Flip, curta Paraty, que tem no Centro Histórico diversas atrações culturais.

A antiga vila de Paraty data de 1720 e teve um plano de construção: suas ruas foram todas traçadas do nascente para o poente e do norte para o sul. Além disso, todas as construções eram regulamentadas por lei e quem a desobedecesse poderia pagar multas ou até ir preso! Por isso, as ruelas tem um plano fácil de se localizar.

Os casarios coloniais do Centro Histórico hoje abrigam lojas, centros culturais, cafés e restaurantes em Paraty, RJ. Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Os casarios coloniais do Centro Histórico hoje abrigam lojas, centros culturais, cafés e restaurantes em Paraty, RJ.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

A invasão das marés na lua cheia, o porto e seus piratas, a cultura do café e da cana, a maçonaria e o catolicismo determinaram o traçado do Centro Histórico de Paraty. Do porto saem passeios de barco inesquecíveis pela região, que tem águas cristalinas e de azul intenso, tornando as ilhas paradisíacas. O café hoje reina nos vários cafés charmosos da cidade. Da cultura da cana veio a Cachaça, hoje reconhecida com selo de Indicação de Procedência. Do catolicismo a bela Igreja Santa Rita dos Pardos Libertos, de 1722. que deu início a povoação. E da maçonaria as marca nas fachadas dos sobrados com desenhos geométricos em relevo.

Igreja Santa Rita dos Pardos Libertos, de 1722, em Paraty, RJ. Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Igreja Santa Rita dos Pardos Libertos, de 1722, em Paraty, RJ.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Com tantos detalhes, o Centro Histórico de Paraty é tombado como Patrimônio Nacional e considerado pela UNESCO como “o conjunto arquitetônico colonial mais harmonioso do Brasil”.

As marca nas fachadas dos sobrados com desenhos geométricos em relevo, herança da maçonaria, em Paraty, RJ. Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

As marca nas fachadas dos sobrados com desenhos geométricos em relevo, herança da maçonaria, em Paraty, RJ.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Uma curiosidade. A maioria das ruas do Centro Histórico tem dois nomes, fruto de decretos municipais conflitantes com o costume já instalado. Por exemplo, a Rua da Praia é a Rua Dr. Pereira; a Rua da Matriz é a Rua Marechal Santos Dias; a Rua do Comércio, a Rua Tenente Francisco Antônio; a Rua da Ferraria a Rua Comendador José Luiz; e a Rua da Cadeia é a atual Rua Marechal Deodoro. Perca-se pelas ruas e encante-se com as belezas históricas e culturais de Paraty.

Por Guia Viagens Brasil Texto: Fotos:  25 de junho de 2015

Receba dicas de viagem


Insira seu email para receber artigos exclusivos e dicas de passeios imperdíveis!





Gostou? Divulgue este artigo para seus amigos!

DICAS RECENTES DO BLOG

Procurando dicas de viagens pelo Brasil?
Cadastre seu email e receba dicas exclusivas:

Editorial - Contato - Anuncie Grátis - Área de Anunciantes - Seja um colaborador

© Copyright 2013 - 2018 - Guia Viagens Brasil - Mapa do Site