Ilha do Marajó

Publicidade

Translator / Tradutor

Marajó é conhecida particularmente por uma característica: é a maior ilha fluviométrica do mundo. Isso significa que ela é banhada pelo oceano Atlântico e pelos rios Amazonas e Tocantins. O seu imenso território se divide em 12 cidades permeadas por rios, matas nativas, mangues, igarapés e uma flora admirável. É um reduto da selva amazônica e que encontra-se muito bem preservado, diga-se de passagem. Soure é a capital da ilha e um dos melhores locais para passeio, pois reúne as praias mais agradáveis para nadar, assim como mais opções de restaurantes e hospedagem, são elas: Barra Velha, Pesqueiro e Joanes. A maior parte dos habitantes que vive na ilha se encontra lá, o número fica na casa dos 250 mil habitantes.

A região oferece passeios alternativos e diferentes do usual para os turistas acostumados com meios de transporte movidos a diesel. Aqui o passeio acontece na lomba de um búfalo. No mínimo inusitado, não é mesmo? Os animais dominam a região e são usados como táxi e também como viatura da polícia. Símbolos da ilha, os búfalos se espalham pelas áreas urbanas e nas planícies quando não é difícil se deparar com uma manada. Até mesmo no Carnaval os búfalos participam puxando carroças que carregam as caixas de som que garantem a festa dos foliões.

As inúmeras fazendas espalhadas pela região fazem da ilha a morada de incontáveis pássaros e peixes de diferentes espécies. Dentre as atividades realizadas nas fazendas abertas para visitação estão a observação das lindas guarás com suas penas vermelhas, pesca, passeios de barco em meio ao igarapé e observação dos jacarés. O trekking em meio à selva, o rafting e o ciclismo nas praias integram o roteiro dos adeptos de esportes de aventura.

Como não poderia deixar de ser na tradição paraense, destaque para a gastronomia regional que mais uma vez faz do búfalo sua estrela, só que desta vez, do cardápio. Um dos pratos mais saborosos é o filé de marajoara servido com queijo de búfala e o frito do vaqueiro que é uma espécie de carne de costela macia que desmancha na boca. As peixadas e os caldos com molusco também integram o cardápio da maioria dos restaurantes. Para a sobremesa nada como os sorvetes de frutas exóticas da região para amenizar o calor.

Para imergir na cultura local vale a pena apreciar o artesanato que é uma rica herança deixada pelos índios. Os objetos de cerâmica estilizados encantam os visitantes que levam presentes de baciada para toda a família e amigos. No Museu do Marajó, situada na cidade Cachoeira do Arari estão os vasos, utensílios de cozinha e objetos de decoração. Ao viajar decida por chuva quase todos os dias no primeiro semestre ou a seca com termômetros na casa dos 40º no restante do ano.

Saiba mais sobre Belém, a capital paraense.

Gostou? Divulgue este artigo para seus amigos!

Cadastre-se

Procurando dicas de viagens
pelo Brasil?
Cadastre seu email e
receba dicas exclusivas:

Editorial - Contato - Anuncie Grátis - Área de Anunciantes - Seja um colaborador

© Copyright 2013 - 2017 - Guia Viagens Brasil - Mapa do Site