Viaje pelas CHAPADAS do Brasil

Publicidade

Translator / Tradutor

Para a geografia, Chapadas são formações rochosas planas que ficam no alto das serras. Para aventureiros, mochileiros e turistas de plantão, são destinos certos para trilhas, cachoeiras e dias incríveis nas férias e feriados. Principalmente no Norte e no Centro-Oeste brasileiro existem chapadas que são, atualmente, até mais visitadas do que grandes metrópoles. Os motivos não são poucos. Paisagens naturais, lindas cachoeiras e dias de muita tranquilidade é o que mais se encontra por lá.

Entre todas as chapadas do Brasil, 6 delas se destacam por serem completamente turísticas. Se você não se aventurou em uma viagem desse tipo, veja o que as Chapadas dos Veadeiros, Guimarães, Diamantina, Apodi, das Mesas e Parecis oferece para suas férias em meio a natureza.

Chapada dos Veadeiros

Localizada na parte centro-oeste de Goiás, a Chapada dos Veadeiros transformou-se em um Parque Nacional em 1961, devido a sua importância natural e turística. O parque completo tem 65.514 hectares de extensão e conta com dezenas de cachoeiras, trilhas ecológicas, rios, riachos, lagoas, rochas bisseculares e uma paisagem de encher os olhos de qualquer pessoa. Em 2001 a região foi declarada como um Patrimônio Mundial Natural pela Unesco, o que fez com que o turismo aumentasse consideravelmente.

Há diversas opções de passeios, hospedagens e aventuras. Veja um pouco mais sobre cada uma delas.

O que fazer na Chapada dos Veadeiros

Entre os diversos passeios na Chapada dos Veadeiros estão:

Cachoeira Veredas – essa fica em uma fazenda com mesmo nome e proporciona uma trilha de 1 quilômetro e meio, bem simples e em meio à lindas paisagens naturais. No final você encontra um cânion que exigirá mais 500 metros de caminhada até a queda d´água. Esse segundo trecho já exige mais esforço físico e habilidade com trekking. Contudo, ao chegar na cachoeira você verá que valeu muito a pena o esforço.

Vale da Lua – pode-se dizer que esse é o cartão-postal do Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Ele fica próximo à cidade de São Jorge (porta de entrada do Parque) e ganhou esse nome devido ser o ponto preferido dos visitantes para observar a lua e também por seu relevo bem lunar. Durante o dia, você pode aproveitar para desbravar as rochas que estão espalhadas pelo rio São Miguel. Essas rochas acabam por formar lindas e deliciosas piscinas naturais, resultando em ótimos banhos. Evite o banho apenas em épocas mais chuvosas, pois a correnteza é bem forte e também há cheias constantes.

Trilha dos Saltos do Rio Preto – para quem gosta de boas e desafiadoras trilhas, essa será inesquecível. A caminhada é de 9 quilômetros no total, que são feitas em aproximadamente 6 horas se você não optar por parar para acampar. Antigamente, no local funcionava o maior garimpo de cristal de quartzo da região, mas foi desativado. Apesar disso, você encontra algumas das antigas instalações, o que deixa o passeio ainda mais emocionante e interessante. No cume da trilha há o Mirante do Salto a 120 metros de altura e de onde você terá uma das vistas mais belas do Parque.

Cachoeira de São Bento – é a cachoeira mais famosa de toda a Chapada dos Veadeiros. A queda de 6 metros proporcionará um dos banhos mais revigorantes que você tem no passeio, a trilha para chegar aqui é de apenas 2.8 quilômetros de extensão, o que pode ser feita por qualquer pessoa, mesmo que não tenha tanta experiência com a atividade. Você também tem a opção de praticar Arvorismo no caminho, deixando a aventura ainda mais emocionante.

Cachoeira Loquinhas, Chapada dos Veadeiros, GO.

Cachoeira Loquinhas, Chapada dos Veadeiros, GO.
Foto Thaisy Sluszz / www.guiaviagensbrasil.com

Além dos pontos citados logo acima, muitos outros podem ser visitados no Parque Nacional da Chapada dos Veadeiros. Não deixe também de passar pelo Vale do Paranã, na Cachoeira Taquara, na Fazenda Boa Esperança, no Mirante do Morro da Baleia, na Caverna de São Mateus, fazer a Trilha dos Cânions e Carioquinhas, entre outros.

Onde ficar na Chapada dos Veadeiros

Você pode optar por qualquer uma das cidades que ficam no Parque: Cavalcante, Povoado de São Jorge, Alto Paraíso – considerada a “Capital” da Chapada dos Veadeiros -, Povoado do Engenho, Teresina de Goiás, São João da Aliança e Colinas do Sul. Todas possuem seus atrativos naturais, pousadas, campings e transporte para toda a região.

Uma dica muito útil é ter todo o seu roteiro traçado e escolher a cidade que ficará mais próxima dos locais que você quer visitar!

Chapada dos Guimarães

A segunda chapada da nossa lista fica no Mato Grosso e também deu nome onde está localizada. Totalizando 33 hectares de extensão, a região foi transformada em Parque Nacional em 1989. Quem administra a atração é o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade, ICMBio, também responsável pela Chapada dos Veadeiros.

O que fazer na Chapada dos Guimarães

Em todo o Parque Nacional da Chapada dos Guimarães você encontra ótimos atrativos. Entre eles:

Cachoeira Véu de Noiva – ao chega aqui você entenderá porque essa cachoeira se chama assim. A sua queda d’água de 86 metros de altura assemelha-se lindamente com um véu. A trilha para chegar até aqui é bem curtinha e fácil, com apenas 1 quilômetro de extensão. Um atrativo especial na Cachoeira Véu de Noiva são os diversos ninhos de araras vermelhas que você encontra espalhados pela região.

Cascata Véu de Noiva, Chapada dos Guimarães. MT.

Cascata Véu de Noiva, Chapada dos Guimarães. MT.
Foto de Thaisy Sluszz / www.guiaviagensbrasil.com

Circuito das Cachoeiras – chama-se assim um passeio completo pelas principais cachoeiras do Parque Nacional da Chapada dos Guimarães. Fazer o circuito completo leva a uma caminhada de 6 quilômetros, contando a ida e a volta, durando aproximadamente 6 horas, sem contar as paradas para banho. As cachoeiras visitadas são: Cachoeira da Independência, Cachoeira 7 de setembro, Cachoeira Andorinhas, Cachoeira do Pulo, Cachoeira da Prainha e Cachoeira dos Degraus.

Morro São Jerônimo – esse é considerado um dos pontos mais altos do Parque, com um pico de 800 metros de altitude. A caminhada é um pouco longa e exige mais esforço físico, por outro lado do alto, você terá uma recompensa única e incrível: uma das melhores vistas da região. Essa trilha só é permitida fazer com um guia e você precisa agendar na entrada do próprio parque, com pelo menos 24 horas de antecedência.

Cidade de Pedra – um grupo de formações rochosas que você precisa de fato conhecer. A região possui apenas 300 metros de extensão, mas o lugar é grandioso. Aqui também tem um mirante que dá para ver uma boa parte do Parque.

Além desses atrativos destacados acima, você também terá no Parque Nacional da Chapada dos Guimarães o Vale do Rio Claro, a Trilha do Matão, o Mirante – considerado o Centro Geodésico da América do Sul -, a Cachoeira da Martinha, a Caverna Aroe Jari, a Lagoa Azul e muitos outros.

Onde ficar na Chapada dos Guimarães

Você tem a opção de ficar na cidade de Chapada dos Guimarães ou Cuiabá. A primeira fica a 11 quilômetros da entrada do parque e a segunda a 50 quilômetros. Os dois municípios são muito bem estruturados quanto a pousadas e a sua escolha dependerá de quais atrações deseja visitar.

Chapada de Diamantina

A famosa Chapada de Diamantina fica na parte central da Bahia e conta com mais de 40 mil quilômetros quadrados, circulando 24 municípios. Aqui também funciona um Parque Nacional, igualmente administrado pelo Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade. O local é visitado constantemente, então se você busca uma atração com menos movimento de turista, a opção é ir à Chapada em meses de baixa temporada, como maio e setembro.

O que visitar na Chapada de Diamantina

Por ser um parque muito grande, as atrações dependem diretamente do seu planejamento. Alguns locais são por completo um atrativo turístico. Veja os principais pontos a serem visitados.

Cidade de Lençóis – a cidade é toda atrativa. Antigamente aqui funcionava um grande abrigo de garimpeiros que trabalhavam na região. Além da natureza exuberante que há ao seu redor, o município em si é lindo de se ver. Sua arquitetura é única e ímpar. Vale o passeio e a hospedagem aqui também.

Morro do Pai Inácio – pode-se dizer que esse é um dos principais cartões-postais do Parque Nacional da Chapada de Diamantina. Ao todo são 1.120 metros de altitude que podem ser explorados através de trilhas, escaladas e tudo o que você imaginar. Do alto a vista é esplêndida!

Marimbus Pantanal – essa região recebeu esse nome por se parecer de fato com o Pantanal, no Mato Grosso do Sul. Do início da trilha até o Rio Marimbus, onde termina o passeio, são cerca de 3 quilômetros de caminhada. Aqui também há a Cachoeira do Rio Roncador, que dá para banhar-se e aproveitar a paisagem.

Grutas – em todo o Parque da Chapada de Diamantina há diversas grutas que precisam entrar para o seu roteiro: a Gruta Lapa Doce, com três cavernas incríveis; a Gruta Pratinha, que fica na nascente do Rio São Francisco e que tem uma profundidade de aproximadamente 2 metros; Gruta Azul, que fica vizinha a Gruta Pratinha e possui um lago perfeito para banho em seu interior.

As belas formações da Chapada Diamantina, BA.

As belas formações da Chapada Diamantina, BA.
Foto Banco de Imagens / www.guiaviagensbrasil.com

Claro que tem muito mais. Talvez seja uma das chapadas brasileiras que mais se dê para explorar e com mais atrativos visitáveis. Veja de perto também a famosa Cachoeira da Fumaça, a maior do país, com seus quase 400 metros de queda d’água. Não deixe também de dar uma passada por todo o Vale do Capão e desbravar as lindas paisagens.

Onde ficar na Chapada de Diamantina

Hospedagem é o que não vai faltar em todo o Parque Nacional da Chapada de Diamantina. Cada uma das pequenas cidades que compreendem o parque, são bem estruturadas e possuem diversos tipos de pousadas e albergues. Além disso, possuem atrativos culturais e noites animadas.

Atente-se bastante para o roteiro da sua viagem. A não ser que você dedique um tempo maior para conhecer todo a chapada em uma única viagem, ficar próximo das principais atrações do roteiro vale muito a pena. Em algumas épocas do ano, o deslocamento torna-se bastante caro.

Chapada do Apodi

Outra chapada nordestina que entra para a nossa lista. Dessa vez, cabe ao Rio Grande do Norte o prazer de tanta beleza natural. Parte dessa formação também chega ao estado do Ceará, nas cidades de Tabuleiro do Norte, Limoeiro do Norte, Alto Santo, Quixeré e Jaguaruana. Com um total de quase 5 mil quilômetros quadrados, a Chapada do Apodi é bem diferente das outras citadas mais acima. Aqui sobrevivem dezenas de famílias sob a subsistência da agroecologia e os passeios são mais voltados para aventureiros de fato que gostam de desbravar regiões desconhecidas.

Também não há um Parque Nacional completamente estruturado com postos de guias turísticos e hospedagens. Quem deseja conhecer a região deve buscar por guias alternativos que ficam nas cidades que compreendem a chapada e que disponibilizam o serviço sem controle de algum órgão. O passeio vale muito a pena, mas não é tão indicado para quem não tem experiência em trekking e trilhas mais longas e que exigem esforço físico.

Para hospedagem você pode escolher uma das cidades da região, pois são todas muito bem estruturadas com pousadas e locais para alimentação.

Chapada das Mesas

Cercada pelas cidades de Carolina, Imperatriz, Estreito e Riachão, a Chapada das Mesas chega aos 161 hectares de extensão e também compreende um Parque Nacional, no Maranhão. De acordo com dados do Ibama, cerca de 2,5% do bioma do Cerrado brasileiro está localizado nessa região, o que fez com que o órgão criasse uma área de proteção e conservação natural. Estando um pouco mais bem estruturado, o Parque Nacional da Chapada das Mesas passou a atrair a atenção de turistas em busca de muita aventura.

O que fazer na Chapada das Mesas

Assim como as outras chapadas, aqui você também encontra alguns pontos turísticos que não podem ficar de fora do seu roteiro de viagem. Entre eles:

Cachoeira de Santa Bárbara – com uma queda d’água que chega a 85 metros de altura, essa é uma das cachoeiras mais populares e procuradas da Chapada das Mesas. O acesso é bem simples, mas você precisa atentar-se sobre a força das águas no poço onde a cachoeira deságua, pois ela é bem forte e o local bem profundo, o que se torna perfeito para quem gosta de mergulhar do alto das pedras.

Poço Azul – o poço azul é na verdade verde! Chama-se assim um grande poço para banhos que existe próximo à Cachoeira de Santa Bárbara. Vale muito a pena a visita e dar um mergulho revigorante nessas águas. O arenito encontrado aqui dá uma cor bem especial, que vai mudando a medida que as horas do dia passam.

Encanto Azul – Esse sim possui lindas e cristalinas águas azuis. É outro poço que você também precisa experimentar o banho. Ele fica no alto da Chapada das Mesas, o acesso é mediano e vale muito a pena conhecer.
Além desses, coloque na sua lista também a Cachoeira do Prata e a Cachoeira de São Romão. As duas ficam no percurso do Rio Farinha e possui uma queda d’água incrível. O acesso pode ser feito por veículos com tração nas 4 rodas, para aqueles que não querem se aventurar à longas caminhadas.

Onde ficar na Chapada das Mesas

A hospedagem precisa ser em uma das cidades que circula a chapada. O local é de fácil acesso e você encontra guias por todos os municípios. A dica de buscar uma cidade mais central diante as atrações que você quer conhecer, também vale para esse caso.

Chapada dos Parecis

A última chapada da nossa lista fica no Mato Grosso e é conhecida como Terra Encantada. A razão não é pouca e você logo entenderá quando chegar por aqui. A paisagem é perfeita e parece ter sido esculpida à mão. O local faz fronteira com a Bolívia, mas é um território completamente brasileiro. O local é explorado há muitos anos devido seus sítios arqueológicos e cavernas que não têm data concreta de formação.

Os turistas começaram a chegar a partir de 1907, quando instalações de linhas telegráficas foram colocadas aqui e a paisagem chamou a atenção de quem vinha ao local. Atualmente, o maior potencial da Chapada dos Parecis está para os esportes mais aventureiros e seus torneios, frequentemente realizados em toda essa região. Entre os mais conhecidos estão os Circuito de Apneia, a Corrida de Aventura e o Triatlo de Revezamento.

Diferente das chapadas anteriores, toda a região é explorada para passeios e dependendo do tipo que você optar, terá um ponto especial. O rafting, por exemplo, é mais praticado na extensão dos Rios Verde, Papagaio, Membeca, Sacre, Cravaí, entre outros. Já para quem gosta de cavalgadas, guias possuem espaços em toda a chapada que são destinados para tal prática. Não deixe de fazer o Circuito Histórico, para conhecer como se formou o lugar e a importância cultural que há nessa chapada.

Rafting Chapada dos Parecis, MT.

Rafting Chapada dos Parecis, MT.
Foto de Thaisy Sluszz www.guiaviagensbrasil.com

A hospedagem pode ser encontrada na cidade de Campo Novo dos Parecis, com opções simples de estabelecimentos já estruturados para os turistas que chegam à região.

Gostou das nossas dicas? Então deixa seu comentário e nos conta qual a sua Chapada Brasileira preferida! Cada uma tem belezas únicas e vale a pena passar uns dias em suas próximas férias. Qual é a primeira da sua lista?

Por Guia Viagens Brasil Texto: Fotos:  04 de agosto de 2015

Receba dicas de viagem


Insira seu email para receber artigos exclusivos e dicas de passeios imperdíveis!





Gostou? Divulgue este artigo para seus amigos!

Deixe o seu comentário

DICAS RECENTES DO BLOG

Procurando dicas de viagens pelo Brasil?
Cadastre seu email e receba dicas exclusivas:

Editorial - Contato - Anuncie Grátis - Área de Anunciantes - Seja um colaborador

© Copyright 2013 - 2017 - Guia Viagens Brasil - Mapa do Site