Roteiro das Missões: a saga dos jesuítas no noroeste do RS

Publicidade

Translator / Tradutor

O turismo histórico sempre foi forte no Brasil. Para a maioria dos viajantes, no entanto, ele costuma significar visitas a regiões de Minas Gerais como Ouro Preto, Diamantina e São João Del Rei. Ou a lembrança pode ser também a costa sul da Bahia, a chamada Costa do Descobrimento. Com a riqueza da história do país, porém, existem muitas outras opções para quem se dispõe a pesquisar mais e se aventurar pelo interior brasileiro.

Em franco crescimento nos últimos anos, a região das Missões, no Rio Grande do Sul, atrai cada vez mais turistas por conta da possibilidade de conhecer as ruínas do local. O reduto religioso, que contava com muitas vilas e igrejas no passado, recebeu o nome justamente por causa das missões jesuítas que foram estabelecidas por lá para catequizar os índios guaranis. Posteriormente, acabaram destruídas ou abandonadas após guerras e conquistas – ou deram origem a cidades atuais.

sao-miguel-missoes-rs

No lado brasileiro foram construídas sete reduções, que ficaram conhecidas como Sete Povos das Missões: São Francisco de Borja (atual São Borja), São Luiz Gonzaga, São Nicolau, São Miguel Arcanjo, São Lourenço Mártir, São João Batista e Santo Ângelo Custódio (atual Santo Ângelo).

E são mesmo as ruínas jesuítas o principal atrativo do chamado Caminho das Missões. A rota ainda é pouco explorada, mas pode ser a opção ideal para quem deseja misturar história e cultura brasileiras com uma viagem de carro e fugir do circuito gaúcho tradicional de Porto Alegre e Serra. Alguns grupos organizam caminhadas (ou vão de bicicleta) pela região, seguindo a ordem dos antigos caminhos missioneiros. Tudo pode ser conhecido em pouco tempo, entre três e cinco dias, já que as pequenas cidades ficam próximas umas das outras. Vamos a elas!

Santo Ângelo

A maior cidade da rota é Santo Ângelo – e costuma ser o ponto de partida ou de chegada para muita gente, sendo chamada de ‘capital’ das Missões. Com pouco menos de 80 mil habitantes, é conhecida pelas belezas naturais e arquitetônicas, e se encontra a menos de 450 km de Porto Alegre, que costumam ser percorridos em menos de 6 horas de carro.

O maior destaque da cidade vai para a Catedral Angelopolitana. Construída entre 1929 e 1971 com estilo neoclássico, ela foi projetada para lembrar o templo de São Miguel Arcanjo – que é a principal ruína do Caminho das Missões. Dentro dela encontra-se uma estátua original missioneira em madeira representando o Cristo morto datada de 1740.

Todo o centro histórico do município também vale a visita, com o Memorial Coluna Prestes, a praça Pinheiro Machado e o Museu Municipal Dr José Olavo Machado. Os arredores de Santo Ângelo ainda apresentam muitas atrações naturais, como o Balneário Porto Cristal, rios e cachoeiras.

São Miguel das Missões

Tombada como Patrimônio da Humanidade pela Unesco, a cidade tem apenas cerca de 8 mil habitantes e abriga o principal ponto turístico do Roteiro das Missões, localizado dentro do Sítio Arqueológico de São Miguel Arcanjo, a ruína da Igreja de São Miguel Arcanjo – que também é a melhor preservada e foi inaugurada em 1745.

sao-miguel-missoes-rs-ruinas

Os turistas visitam o local para mergulhar na vida do vilarejo séculos atrás, construído ao redor da Igreja, com a indicação de onde ficavam a praça, a escola e o cemitério na época da antiga missão jesuíta. No sítio há esculturas representando o São Miguel, os padres jesuítas e o cacique Sepé Tiarajú, além de outras obras sacras belíssimas e centenárias. O sino original da igreja também está em exposição, mostrando toda a grandiosidade do local na época colonial.

A cidade ainda tem como atrativo o Museu Lúcio Costa, também conhecido como Museu das Missões. Tombado como Patrimônio Nacional, foi idealizado pelo famoso arquiteto que deu nome a ele, e abriga diversas estátuas e imagens missioneiras do século 18, que antes ficavam espalhadas pelas Missões – com o maior acervo de preservação da região.

São Miguel das Missões fica a menos de uma hora de carro de Santo Ângelo, em um percurso de aproximadamente 60 km.

Você está conferindo o Roteiro das Missões, uma bela região histórica do interior do Rio Grande do Sul. Se está gostando das dicas, compartilhe no seu Facebook, ou tuíte, e convide os amigos!

Compartilhe no FacebookCompartilhe no Twitter

São Borja

A outra ponta do roteiro é a cidade de São Borja (antiga São Francisco de Borja), conhecida por ser o local da 1ª Redução Jesuítica dos Sete Povos das Missões, próxima ao rio Uruguai e à fronteira com a Argentina.

Fundada pelos padres jesuítas em 1682, foi o primeiro vilarejo da região, o mais antigo do Rio Grande do Sul e um dos mais antigos do Brasil. Atualmente conta com 63 mil habitantes e fica a 190 km – pouco mais de duas horas de carro – de Santo Ângelo.

O município também possui fama nacional por ser terra natal dos ex-presidentes Getúlio Vargas e João Goulart – ambos possuem museus dedicados à sua memória no centro de São Borja. O Museu Municipal Aparício Silva Rillo, conhecido como Museu Missioneiro, é outro ponto turístico de interesse da rota por abrigar estátuas do período reducional e ter o segundo maior acervo sobre o assunto, atrás apenas do Museu das Missões, em São Miguel.

Outras cidades da Região das Missões

O Roteiro das Missões inclui um total de 28 municípios gaúchos. Além dos já citados, ainda fazem parte:

  • Entre-Ijuís: possui o Sítio Arqueológico de São João Batista, onde ficava a missão de mesmo nome no passado;
  • São Luiz Gonzaga: foi originada a partir da redução jesuíta homônima e também abriga as ruínas da missão de São Lourenço Mártir, bem menos preservadas que a de São Miguel;

sitio-arqueológico-sao-lourenco-martir

  • São Nicolau: abriga as ruínas da antiga Redução de São Nicolau, uma das sete originais;
  • Guarani das Missões: conhecida como Capital Polonesa dos Gaúchos pela forte influência da cultura do país do leste europeu;
  • Catuípe: abriga o Santuário do Caaró;
  • São Pedro do Butiá: suas ruínas praticamente desapareceram. É uma cidade com forte colonização alemã;
  • Roque Gonzáles: famosa pela beleza natural do Cerro do Inhacurutum.

Completam o Caminho das Missões as cidades de Santo Antônio das Missões, Salvador das Missões, São Paulo das Missões, Bossoroca, Caibaté, Cerro Largo, Dezesseis de Novembro, Eugênio de Castro, Garruchos, Giruá, Ijuí, Mato Queimado, Pirapó, Porto Xavier, Rolador, Sete de Setembro, Ubiretama e Vitória das Missões. Outras 18 cidades ainda são classificadas como parte da região, mas em outra rota, a do rio Uruguai.

Por ter uma área relativamente pequena e de fácil acesso, o passeio todo pode ser feito em pouco tempo, preferencialmente de carro, pois horários de ônibus entre as cidades podem fazer o turista perder muito tempo.

O Roteiro das Missões é ainda pouco badalado e tornou-se uma excelente opção para quem deseja conhecer melhor a cultura do Rio Grande do Sul do interior, com um pouco mais de sossego. Isto tudo, sem falar do mergulho ao passado brasileiro daquela região.

***
Já conhece as Missões no Rio Grande do Sul? Conta para gente o que faltou no roteiro e o que achou da região!

Por Guia Viagens Brasil Texto: Fotos:  04 de julho de 2016

Receba dicas de viagem


Insira seu email para receber artigos exclusivos e dicas de passeios imperdíveis!





Gostou? Divulgue este artigo para seus amigos!

Deixe o seu comentário

DICAS RECENTES DO BLOG

GUIAS DE VIAGENS GRÁTIS - BAIXE AGORA O SEU!

Loja
Encontre os melhores ebooks de dicas de viagem pelo Brasil

Procurando dicas de viagens pelo Brasil?
Cadastre seu email e receba dicas exclusivas:

Editorial - Contato - Anuncie Grátis - Área de Anunciantes - Seja um colaborador

© Copyright 2013 - 2017 - Guia Viagens Brasil - Mapa do Site