Roteiro completo de 3, 5 e 7 dias por RECIFE e arredores

Publicidade

Translator / Tradutor

A capital de Pernambuco, Recife, é uma das maiores metrópoles do nordeste brasileiro, e mistura história e belezas naturais, com o charme peculiar nordestino.

Entre uma tapioca e um bolo de rolo, visitar a “Veneza Brasileira” é uma grande experiência. Recife é cortada por rios, canais, mangues e pontes que formam um belíssimo cenário singular. O nome vem dos arrecifes e da formação de corais presentes em seu litoral, formando uma muralha natural.

O tempo que se tem disponível para uma viagem até o destino orientará a sua programação. Mas, seja por três, cinco ou sete dias, é possível conhecer as maravilhas e diversões de Recife e arredores, que possui muitas atividades bacanas e belos locais para visitar. Em um roteiro bem organizado e que permite visitar o que há de mais interessante na cidade, o tempo será apenas um mero detalhe no meio de um passeio inteiramente encantador. Então, confira nossa sugestão de roteiro e programe sua viagem! Vamos lá.

Roteiro de 3 Dias

É possível conhecer parte de Recife e seus principais pontos turísticos fazendo um roteiro mais enxuto e dinâmico, por exemplo em um final de semana prolongado. Veja.

Dia 1: Conhecendo o Centro Antigo de Recife

Recife Antigo, como é chamada o centro histórico da cidade, se separa por uma ponte da área mais moderna, na Ilha de Santo Antonio, onde há também construções de época. A área é recheada de pontos turísticos, já que há museus, centros culturais, igrejas, ruas de pedras portuguesas e casarios centenários, misturados a áreas comuns de grandes centros urbanos.

foto-centro-historico-em-recife-pernambuco-8375

Em Recife Antigo é possível ir a pé em todos os monumentos. As ruas mantêm as pedras portuguesas e o casario holandês, que leva até o Observatório Cultural Torre Malakoff, onde é possível ter uma bela visão da cidade.

O Teatro Apolo é o mais antigo da capital e foi aberto em 1839. Chegou a ser vendido e virar um armazém de açúcar e só a partir da década de 90 do século 20 é que voltou a ser ativo, restaurando o espaço cênico e sendo o mais concorrido de Recife.

Seguindo o passeio, você verá que não é só de igrejas católicas que vive Recife Antigo. Há sinagogas antigas e muito bonitas, como o Centro Cultural Judaico/Sinagoga Kahal Zur Israel, que foi a primeira construída em todas as Américas, feita ainda na colonização holandesa em 1641.

sacadas-centro-historico-recife-pe

Já o Shopping Paço Alfândega fica numa construção feita em 1732 e que mantém a estrutura da época e parte das lembranças de um convento e de uma alfândega. Com lojas da região e outras famosas pelo país, também tem praça de alimentação, ótima pedida para o almoço.

Após a ida ao shopping, vá ao Museu Cais do Sertão, com referências ao sertão nordestino, sua cultura e vivência. Há um bom destaque sobre o músico Luiz Gonzaga. Em seguida, vá ao Centro de Artesanato de Pernambuco que possui mais de 15 mil peças de artesanato feito no Estado. O tamanho e a organização estrutural são muito interessantes.

foto-artesanatos-recife-antigo-pernambuco

O Paço do Frevo é um museu dedicado ao gênero musical criado em Pernambuco, com vasta documentação e material de exibição e pesquisa. Na temática do Carnaval, a Embaixada dos Bonecos Gigantes mostram inúmeros bonecos de personalidades públicas, num verdadeiro museu de cera.

bonecos-do-carnaval-recife-pe-foto-8474

Já na Praça Rio Branco, onde acontecem as maiores festas ao ar livre de Recife, há o Marco Zero, um ponto de referência que calcula a distância e espaço de todas as cidades do Estado.

foto-centro-historico-em-recife-pernambuco-8370

Siga o passeio atravessando a Ponte Buarque Coelho e indo até o centro, onde há monumentos históricos e também modernos. No Pátio São Pedro há três deles para se conhecer: a Catedral de São Pedro dos Clérigos, o Memorial Chico Science e o Museu de Arte Moderna Aloísio Magalhães.

foto-rio-capibaribe-visto-do-paço-alfandega-recife-pernambuco

Do ladinho há a belíssima Capela Dourada, com estrutura simples, mas talhada de ouro em seus altares. Já no Mercado São José é o local ideal para provar os sabores de Recife – não deixe de experimentar o tradicional bolo de rolo – e as belezas de seu artesanato.

foto-bolo-de-rolo-recife-pernambuco

Como próxima parada, a Basílica e Convento de Nossa Senhora do Carmo chamam atenção. É um conjunto arquitetônico católico da Ordem Carmelita, com o estilo rococó e a imagem da santa em tamanho natural, com uma coroa de raios dourados.

Outro ponto para compras – e também muito peculiar – é a Casa de Cultura, antiga Casa de Detenção, que usa os boxes das celas para servirem de pontos de vendas do artesanato local. Aproveite e dê uma pausa para comer no Restaurante Leite, o mais antigo de Recife e com famosos pratos de bacalhau. Fica na Praça Joaquim Nabuco.

foto-centro-historico-em-recife-pernambuco-8649

A sede do governo fica no Palácio do Campo das Princesas, com visitas guiadas as quintas, sextas e domingo de manhã. Vale a pena o passeio.

foto-palacio-campo-das-princesas-recife-pernambuco

No Recife Antigo, após uma grande reforma realizada no século passado, muitas casas e imóveis históricos foram demolidos, como a Matriz do Corpo Santo, para que novas avenidas e edifícios modernos fossem erguidos. Um deles é o Maurício de Nassau, de fachadas de vidro e desenhos modernos, que ficam ao lado da Bolsa de Valores de Pernambuco e a Associação Comercial de Pernambuco, que abriga Santander Cultural e a Caixa Cultural.

Em vários pontos do centro há bares e restaurantes, e – com sorte – pode até estar acontecendo alguma festa ou apresentação artística de frevo ou maracatu, danças típicas locais. Vale a pena ficar atento, conferir e participar!

apresentaçao-maracatu-recife-antigo-pernambuco

Dia 2: Olinda ou o Instituto Ricardo Brennand

No segundo dia propomos que você escolha entre visitar a cidade vizinha de Olinda, ou o belo Instituto Ricardo Brennand. Ou ainda, se tiver fôlego, por que não os dois locais no mesmo dia?

Olinda

Visitar Olinda é regra básica para quem vai a Recife. A cidade fica ao lado da capital, quase como um bairro, fazendo uma dobradinha deliciosa de passear. Olinda foi eleita a Capital Brasileira da Cultura e tem um dos carnavais mais animados e procurados por turistas no Brasil e no mundo.

Clique aqui e confira o Guia Completo de Recife e Olinda.

Considerada Patrimônio Cultural da Humanidade pela Unesco, Olinda já foi a cidade mais rica do Brasil colônia até a invasão holandesa em 1618. Era a capital pernambucana, mas após os holandeses a incendiarem, a capital passou para Recife.

foto-olinda-pernambuco-8046

Sua origem vem dos índios Caetés e foi fundada em 1535 por Duarte Coelho e logo foi elevada a categoria de vila.

Misturada entre o sagrado e o profano, já que possui inúmeras igrejas, conventos e monumentos religiosos, duela entre uma semana santa cheia de significados e também um carnaval cheio de expressões culturais.

foto-olinda-pernambuco-7847

A cidade é alta e repleta de ladeiras, algumas muito íngremes, com a mistura de imóveis modernos com a arquitetura antiga e semi-conservada. O ideal é começar pela manha é ir até o mais alto ponto, para descer a pé para não se cansar tanto. Há um trenzinho que faz um passeio turístico para quem não tem muito tempo, ou não pode se deslocar tanto a pé.

foto-olinda-pernambuco-7812

O Alto da Sé tem uma linda vista da cidade e do mar, com a Igreja da Sé de 1548 e a Igreja de Nossa Senhora do Amparo. Por trás da Igreja da Sé, desça a ladeira até o Convento de São Francisco. Todas essas construções são monumentos históricos e mantém um bom nível de conservação.

foto-olinda-pernambuco-8046

Próximo ao convento há uma pequena feira de artesanato local, com peças em madeira, cerâmica, pano, os tradicionais bonequinhos e, claro, quitutes pernambucanos, ótimos para um lanche rápido. Com a energia reabastecida, só seguir para locais como Igreja e mosteiro São Bento, com arquitetura rococó e barroca belíssimas.

foto-olinda-pernambuco-7872

A Praça Maxabomba ainda mantém os trilhos do primeiro transporte urbano da América Latina e vale conferir o local. Em seguida, vá ao Museu do Mamulengo que representa a cultura regional com bonecos de madeira manipulados por artistas. Seu museu possui um rico acervo da arte e tem mais de mil bonecos.

Instituto Ricardo Brennand

Já de volta em Recife, no bairro da Várzea, há um belíssimo e inusitado complexo arquitetônico no estilo medieval que merece sua visita! O Instituto Ricardo Brennand – também conhecido como Museu Brennand – foi fundado pelo colecionador que dá nome ao local e bons motivos não faltam para a visita!

foto-museu-brennand-recife-pernambuco-8778

São três prédios a serem visitados: o Museu Castelo São João, a Pinacoteca e a Galeria, e a Capela Nossa Senhora das Graças. Tudo com um belo parque ao redor, com ampla área verde, com lagos artificiais e esculturas gigantes que reproduzem obras de arte famosas.

lago-museu-brenand-recife-pe

Os edifícios têm estilo Tudor, em 77 mil metros quadrados. Apesar do estilo medieval, ela também mantém traços contemporâneos e decoração original da época como ponte levadiça, altar gótico e brasões.

No núcleo de armaria tem uma das maiores coleções do mundo, com 3.000 peças de armas de caça, guerra, defensivas e ofensivas, proteção pessoal e exibição, vindas da Inglaterra, França, Itália, Alemanha, Espanha, Suécia, Turquia, Índia e Japão.

pequena-replica-canhao-museu-brenand-recife-pe

27 armaduras completas, feitas no século 14 a 17, incluindo as usadas em cavalos e cães, com elmos, escudos, manoplas, guantes e cotas de malha. A coleção de armas brancas tem punhais, espadas, bestas, clavas, estiletes, facas, canivetes e maças.

armadura-museu-brenand-recife-pe

No núcleo de artes decorativas há castiçais, candelabros, jarros, mosaicos, cofres, cerâmicas, instrumentos musicais e móveis vindos da Europa, Ásia e África originais do século 18. Dentro desse mesmo núcleo há espaços para tapeçarias francesas e flamengas, mobiliário francês e inglês.

O núcleo de artes visuais tem pinturas, esculturas, gravuras e desenhos de artistas de várias nacionalidades desde o século 15 até os dias de hoje. Artistas como Debret, Rugendas, Vinet, Benedito Calixto, Romano Romanelli, entre outros, fazem parte do acervo.

foto-museu-brennand-recife-pernambuco-8976

Há também um grande acervo de documentação histórica e iconográfica sobre a ocupação holandesa em toda a região nordeste.

Se você gosta de história, arte e cultura, o Instituto Ricardo Brennand merece um dia inteirinho da sua visita!

Dia 3: Praia da Boa Viagem e Passeio de Catamarã pelos Canais de Recife

A Praia de Boa Viagem é a maior e mais famosa da cidade e, mesmo sendo urbana, ainda é uma praia limpa e muito bem estruturada. São 9 quilômetros de calçadão, com muitos bares, quiosques, restaurantes e barracas com o que há de mais variado em alimentação praeira. Em alguns pontos há música ao vivo e muita badalação.

quiosque-praia-boa-viagem-recife-pe

Mas, Boa Viagem também reserva tranquilidade, com piscinas naturais formadas na maré baixa e água morna. É importante evitar o banho após os arrecifes, para evitar ataques de tubarões, geralmente presentes na região.

mae-filha-praia-boa-viagem-recife-pe

Curta bem a praia e se quiser, pode passar o dia todo só aproveitando o sol, mar e areia, relaxando e descansando. Mas, outra opção para final de tarde (ou pela manhã) e fazer um passeio de catamarã pelos canais da cidade. É um belo tour.

foto-centro-historico-em-recife-pernambuco-8388

Os catamarãs circulam entre as três principais ilhas da cidade e um guia resume a história de Recife e apresenta todos pontos turísticos importantes por onde o barco passa, além de contar curiosidades e lendas.

Roteiro de 5 Dias

Agora com mais dois dias, podemos incluir outras maravilhas pernambucanas para a visita.

Dia 4: Ilha de Itamaracá e visita ao Centro de Preservação do Peixe-Boi

Ao norte de Recife, a Ilha de Itamaracá é um dos pontos turísticos mais visitados na região. Possui praias de águas tranquilas e um visual delicioso para relaxar.

foto-ilha de-itamaraca-pernambuco-9033

A ilha tem 11 praias com irretocável beleza e as mais badaladas são a de Pilar, Baixa Verde, Jaguaribe e Quatro Cantos, com quiosques, bares, restaurantes e point de turistas. Para quem deseja lugares semidesertos, a Praia do Sossego, do Fortinho e do Ponta da Ilha são as mais indicadas.

foto-ilha de-itamaraca-pernambuco-9044

É na Ilha de Itamaracá que fica o Forte Orange, construído pelos holandeses, demolido e reconstruído pelos portugueses para defesa da região. Segue abrigando canhões e algumas relíquias antigas, e proporciona um belo visual do litoral.

foto-ilha de-itamaraca-pernambuco-9047

Já no vilarejo de Vila Velha há casarios coloniais datados de 1540, a maior parte em ruínas, além da singela Igreja Nossa Senhora do Rosário dos Pretos.

Depois de conhecer o centrinho, as praias e as construções históricas, é hora de visitar o Ecoparque Peixe-Boi e Cia, que protege a espécie marinha em extinção. São apenas 400 mamíferos e o passeio inclui apresentação de vídeo sobre a espécie e visita aos tanques onde eles estão agrupados. Muito conhecimento ambiental te aguardam nesse passeio!

Dia 5: Cabo de Santo Agostinho e suas praias

Com nove praias bem peculiares, a península do Cabo de Santo Agostinho é perfeita para todos os tipos de gostos e interesses. Há também muita história e cultura no destino, com um passeio necessário a Vila de Nazaré e a sua Igreja em estilo colonial, ao Museu do Pescador, que mostra a cultura pesqueira da região, e as ruínas do Convento Carmelita e do Forte Castelo do Mar.

Você pode passar o dia curtindo as belas praias. As mais calmas são a Itapuama, Pedra do Xaréu e Praia do Paiva, que são semidesertas. Já as mais badaladas são a Gabiru e dos Corais. A que é considerada mais bonita do Cabo de Santo Agostinho é a Praia das Calhetas, bem escondida entre pedras e vegetação, mas vale o percurso até ela!

Cabo de Santo Agostinho fica a 52 quilômetros de Recife e a 51 quilômetros de Porto das Galinhas. Então, se estiver de carro, ou puder pernoitar por lá – há bons hotéis e pousadas -, é um ótimo meio de caminho para visitar as deliciosas piscinas naturais de Porto de Galinhas, nossa sugestão de roteiro para mais de 5 dias. Veja a seguir.

Você está conferindo sugestão de roteiro de 3, 5, 7 ou mais dias por Recife e arredores. Se está gostando das dicas, compartilhe no seu Facebook, ou tuíte, e convide os amigos!

Compartilhe no FacebookCompartilhe no Twitter

Roteiro de 7 Dias

Com sete dias disponíveis, é possível distribuir melhor o roteiro de viagens e conhecer mais profundamente os recantos de Pernambuco. Vamos antes relembrar os dias anteriores?

– Dia 1: Recife Antigo
– Dia 2: Olinda ou o Instituto Ricardo Brennand
– Dia 3: Praia da Boa Viagem e passeio de catamarã pelos canais da “Veneza Brasileira”
– Dia 4: Ilha de Itamaracá e visita ao centro de preservação do peixe-boi
– Dia 5: Cabo de Santo Agostinho e suas praias

Dia 6: Porto de Galinhas

Porto das Galinhas é um dos mais famosos balneários do país. O cenário é paradisíaco, com águas verdes que se funde ao céu azul turquesa e areia branca. A temperatura da água é morna o ano inteiro e há várias formações de piscinas naturais entre os corais, com centenas de espécies marinhas. Um verdadeiro destino dos sonhos.

imagem-blog-piscinas-naturais-de-porto-de-galinhas-pernambuco

Um dia só é pouco para curtir Porto de Galinhas, clique aqui para ver porque. Mas, se você só puder dar uma escapadinha até aqui, foque seu dia no passeio de jangada até as piscinas naturais, com direito a mergulho de snorkel entre os peixinhos coloridos que compõe esse aquário natural imenso!

foto-piscina-natural-em-porto-de-galinhas-pernambuco-6527

Se sobrar um tempinho e fôlego, você pode conhecer a Praia de Maracaípe, onde as ondas são mais fortes e altas, o que atrai o turismo de jovens surfistas e aspirantes. Ou ainda fazer um passeio de jangada pelo Rio Marcaípe e conhecer o Projeto Hippocampus, que protege os cavalos-marinhos, essa espécie tão curiosa e bela que habita as águas da região.

imagem-blog-cavalos-marinhos-no-passeio-pelo-rio-maracaipr-em-porto-de-galinhas-pernambuco

No fim de tarde, os bares da vila começam a se animar e há música em vários pontos. Aproveite o belo pôr do sol petiscando os quitutes locais.

foto-praia-porto-de-galinhas-em-porto-de-galinhas-pernambuco-7673

Dia 7: Tamandaré

Em Tamandaré estão as praias mais desertas de todo o litoral pernambucano. Seu mar é também calmo, com piscinas naturais e uma areia branca fina.

foto-praia-de-tamandare-em-pernambuco-6931

A praia mais famosa de Tamandaré é a Praia de Carneiros, já quase na divisa com Alagoas. Paradisíaca, mais parece uma imensa piscina natural, emoldurada por coqueirais e orla de areia clara. Inesquecível.

foto-praia-dos-carneiros-em-tamandare-pernambuco-7017

A Igreja São Benedito é simples, mas recebe vários visitantes pelo cenário encantador que forma em meio aos coqueiros. Lá ainda são realizados alguns casamentos. Dos sonhos, não é?

coqueiros-igreja-sao-benedito-tamandaré-pe

Não precisamos nem dizer que seu sétimo dia de passeio é só curtindo esse visual e relaxando nas piscinas naturais das praias de Tamandaré, não é?

Veja mais fotos da Praia de Carneiros clicando aqui.

Dica Extra

Sobrou algum dia? Convidamos para visitar Caruaru, a famosa capital do forró!

Caruaru tem como principal referência o período de São João, quando as Festas Juninas acontecem e a cidade se torna palco de manifestações culturais típicas nordestinas.

religiao-festa-junina-caruaru-pe

Caruaru é a maior cidade do interior de Pernambuco e possui três teatros, além de ser sede do FETEAG, Festival de Teatro do Agreste. Já o Museu Alto do Moura é palco de artesãos conhecidos internacionalmente e dos mais significativos de todas as Américas.

Visite também o Museu do Barro Espaço Zé Cabloco, anexo do Espaço Cultural Tancredo Neves, tem espaços dedicados a ilustres figuras pernambucanas como Luiz Gonzaga, Mestre Vitalino, Elba Ramalho e Abelardo Rodrigues.

A Feira de Caruaru fica no bairro de Nossa Senhora das Dores, feita todas as quartas e sábados e é considerada a maior de todo o nordeste. São mais de 200 anos de existência mostrando os sabores e cultura nordestina, sendo ponto de parada de vaqueiros e mascates no seu início. Há também apresentações de vários artistas regionais.

Caruaru conquistou uma referência no Guinness World Records por ser a Maior Festa Junina do Mundo, ou melhor, a maior festa country regional ao ar livre, atraindo 1,5 milhões de pessoas. A cidade rivaliza com Campina Grande em quantidade de pessoas, mas até hoje mantém o título. Na festa há toda a temática junina, com barraquinhas de comidas típicas, danças, música, shows, queima de fogos, fogueira e muita animação.

linda-festa-junina-caruaru-pe

Então já sabe: se sua viagem coincidir com o mês de junho, a festa está garantida em Caruaru!

***

E então? Gostou das nossas dicas de roteiro para visitar Recife e arredores? Não faltam motivos para fazer uma visita, não é? Planeje sua viagem escolhendo um dos nossos roteiros e boa viagem!

Por Guia Viagens Brasil Texto: Fotos:  04 de março de 2017

Receba dicas de viagem


Insira seu email para receber artigos exclusivos e dicas de passeios imperdíveis!





Gostou? Divulgue este artigo para seus amigos!

Deixe o seu comentário

DICAS RECENTES DO BLOG

Procurando dicas de viagens pelo Brasil?
Cadastre seu email e receba dicas exclusivas:

Editorial - Contato - Anuncie Grátis - Área de Anunciantes - Seja um colaborador

© Copyright 2013 - 2017 - Guia Viagens Brasil - Mapa do Site