Guia Completo de SALVADOR

Publicidade

Translator / Tradutor

Falar da Bahia é sempre falar um pouco da história do nosso país. Foi por essas terras que Pedro Álvares Cabral chegou com sua caravela e por onde tudo começou. Os primeiros povoados, os primeiros monumentos, a primeira noção de sociedade começou por essas áreas. Com a capital situada em Salvador, vieram então os primeiros avanços e, consequentemente, o turismo. Hoje, a principal cidade baiana recebe turistas do mundo inteiro durante o ano todo. Em qualquer época que você chegar em Salvador, terá o que fazer e com o que se divertir.

O Pelourinho, que reúne história, cultura e diversão, em Salvador, BA. Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

O Pelourinho, que reúne história, cultura e diversão, em Salvador, BA.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Atrativa por natureza, difícil é chegar em Salvador e não se encantar! Belezas naturais, arquitetura única e um povo apaixonante de alegria única. Quem vem para a Bahia com certeza jamais esquece e volta um pouco baiano também.

Este Guia Completo resume um pouco dos atrativos encontrados na cidade e o que você pode fazer nas suas férias na Bahia. O melhor deste destino é a variedade de opções. Você perceberá que a capital não é apenas praia e Carnaval – que é um dos mais famosos do Brasil. Salvador é um destino para o ano inteiro. Veja o que fazer de melhor na cidade de Salvador – terra de todos os santos e encantos.

Turismo Histórico

Para quem deseja entender um pouco mais sobre a história do Brasil e quer ir além dos livros tradicionais, uma viagem até Salvador com um roteiro mais focado em monumentos locais fará você entender e ver como viviam nossos primeiros colonizadores. O Centro Histórico sempre será o ponto de partida para essa pequena e rápida viagem no tempo, mas há muito mais o que se explorar nas terras soteropolitanas.

Praça da Sé

Praça da Sé ou Praça da Cruz Caída, fica no início do Pelourinho, bem atrás do prédio da prefeitura da cidade. Você vai encontrar uma imensa cruz de 12 metros de altura, criada por Mário Cravo, que simboliza a derrubada da Igreja da Sé, que antes era localizada nesta praça, mas foi demolida para que os trilhos do Terminal de Bondes da Companhia Linhas Circular de Carris da Bahia fossem construídos. Até então, a igreja mantinha importância histórica para a cidade por ser a maior fortaleza dos nossos colonizadores contra invasões holandesas no século XVII.

Em 1765, com a construção da Igreja do Salvador, a Sé perdeu a sua condição de mais importante templo religioso da cidade, mas permaneceu em pé devido todo o contexto histórico que guardava. Contudo, em 1933, com a criação do terminal da Lapa, veio o pedido de demolição da igreja, o que causou revolta em muitos populares.

Nesta praça você encontrará um pouco da história da igreja e também uma das vistas mais lindas da cidade. Dá para ver parte da Baía de Todos os Santos e do Porto. Tire um dia para curtir o pôr do sol de lá de cima. Você vai se encantar.

Centro Histórico de Salvador

Para conhecer bem todo o Centro Histórico de Salvador – somente no contexto histórico, claro – você vai precisar de um dia inteiro e boa disposição para caminhar por essas graciosas ruas de pedrinhas e casas coloridas. Basicamente, esse atrativo resume-se no famoso bairro do Pelourinho. Você pode começar o passeio pelo Largo do Pelourinho e terminar no Largo do Terreiro de Jesus ou fazer o caminho inverso.

Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, no Largo do Pelourinho, em Salvador, BA. Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos, no Largo do Pelourinho, em Salvador, BA.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Iniciando o passeio pelo Largo do Pelourinho, você já terá de cara a Igreja de Nossa Senhora do Rosário dos Pretos. Construída no século XVII é um Patrimônio Mundial tombado pela UNESCO e foi dedicada aos negros escravos e também alforriados, que eram muito devotos da santa. Na grade da entrada você encontrará muitas fitinhas coloridas amarradas com pedidos de bênçãos dos que passam por lá. Para ter acesso ao prédio é preciso pagar.

Um pouco mais a frente, no Terreiro de Jesus, você vai encontrar a Igreja e o Convento de São Francisco, considerada o maior templo barroco do Brasil, também é um Patrimônio da Humanidade e foi tombada pelo Iphan, sendo considerada uma das Sete Maravilhas de Origem Portuguesa no Mundo.

Fachada da Igreja de São Francisco, no Pelourinho, Salvador, BA. Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Fachada da Igreja de São Francisco, no Pelourinho, Salvador, BA.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Essa igreja foi uma das primeiras a ser erguida em Salvador, no ano de 1585, para realizar os primeiros trabalhos de convento no Brasil. Passou a chamar atenção devido a sua decoração e a quantidade de obras de arte que guarda. As paredes, o teto, as colunas e as capelas são revestidas em ouro. A visita não é cobrada, mas há horários para o acesso de turistas.

A decoração grandiosa e dourada da Igreja de São Francisco, no Pelourinho, Salvador, BA. Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

A decoração grandiosa e dourada da Igreja de São Francisco, no Pelourinho, Salvador, BA.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Ainda no Terreiro de Jesus você vai encontrar a Catedral Basílica Primacial São Salvador, considerada a “igreja-mãe” de todas da cidade. O prédio tem importância histórica por ter sido a primeira escola de jesuítas do Brasil, fundada por Tomé de Souza em 1549 para a Companhia de Jesus.

Pegando o Elevador Lacerda e descendo para a Cidade Baixa, você vai encontrar o famoso Mercado Modelo. Hoje um centro de compras de artesanatos e produtos tipicamente baianos, o prédio foi inaugurado em 1912 como o centro de abastecimento para o comércio da cidade baixa.

Mercado Modelo, ao centro da foto, na Cidade Baixa, em Salvador, BA. Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Mercado Modelo, ao centro da foto, na Cidade Baixa, em Salvador, BA.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

E já que falamos do Elevador Lacerda, ele também tem sua importância histórica para Salvador, para o Brasil e também para o mundo. O cartão-postal de Salvador foi construído em 1873, sendo o primeiro elevador urbano do mundo e também o mais alto naquela época, com 63 metros de altura. Fundado como Elevador Hidráulico da Conceição, ele foi projetado por Antônio de Lacerda, como um facilitador para o comércio entre a cidade alta e a cidade baixa. Claro que para chegar à famosa arquitetura de hoje, ele precisou passar por algumas reformas, sendo a última em 150, quando ganhou o desenho definitivo. Uma boa dica é experimentar o sorvete da sorveteria que fica bem na entrada do Elevador Lacerda e aproveitar a vista lá de cima, também uma das mais lindas para ver o pôr do sol na cidade.

Elevador Lacerda e ao fundo a Baía de Todos os Santos, cartão-postal de Salvador, BA. Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Elevador Lacerda e ao fundo a Baía de Todos os Santos, cartão-postal de Salvador, BA.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Você está conferindo o Guia Completo de Salvador. Se está gostando das dicas da cidade, compartilhe no seu Facebook, ou tuíte, e convide os amigos para se divertirem na capital baiana!

Compartilhe no FacebookCompartilhe no Twitter

Marco de Fundação da Cidade de Salvador

Quando Thomé de Sousa desembarcou em terras soteropolitanas, isso aconteceu pelo Porto da Barra. A partir de então os avanços surgiram e com eles toda a importância também cultural e histórica para o nosso país. Exatamente em tal local, foi instalado um marco de pedra que simboliza o início da construção de Salvador.

O monumento foi criado em 1952, exatamente no dia 29 de março, dia oficial da criação de Salvador. Como simbolismo, possui o desenho da coroa portuguesa e da cruz de Cristo esculpida na pedra. Há também um painel com mais de 4 metros de largura e quase 2 metros de altura, todo feito em azulejo português, que retrata a chegada de Thomé de Sousa da cidade. Esse painel é uma réplica de um com mesma importância, instalado em Lisboa, 3 anos antes.

Museus de Salvador

A cidade de Salvador em si é um grande museu ao céu aberto. Contudo, ainda há museus imponentes e importantes na cidade. Se você gosta de admirá-los, pode fazer um roteiro mais que especial por esses lugares.

O Museu Rodin da Bahia é o primeiro da nossa lista. Localizado no Palacete das Artes, ele abriga 62 esculturas de Auguste Rodin, além de um cinema e um café. Aqui acontecem eventos temporários e manifestações culturais importantes para a cidade.

Outro museu que vale muito a pena ser visitado e que está fora da maioria dos roteiros turísticos é o Instituto Feminino da Bahia. O local foi criado como uma espécie de escola profissionalizante para mulheres, em 1923, onde haviam aulas de contabilidade, secretariado, entre outros cursos. Aqui você encontrará um pouco da história da Bahia, das mulheres mais importantes do estado e também de alguns trabalhos culturais e históricos que totalizam cerca de 15 mil peças.

Estando na cidade do Axé Music e de grandes nomes do Tropicalismo e da MPB, não poderia faltar um museu que contasse toda a trajetória de tantos compositores. O Museu da Música Brasileira veio como um espaço para divulgar os sons que sempre aconteceram por aqui e também por todo o estado. Há também o MAM – Museu de Arte Moderna da Bahia, onde você encontrará apresentações, exposições e tudo o que se refere aos artistas locais e que promovem a cultura do estado.

Respirando cultura africana, não poderia faltar um museu que retratasse essa importância para a cidade. O MAFRO – Museu Afro-Brasileiro foi implantado dentro do campus da Universidade Federal da Bahia e mostra elementos africanos importantíssimos para a formação histórica e cultural do Brasil.

O mais famoso da cidade é o Museu Náutico da Bahia, instalado dentro do Forte da Barra. Aqui você vai encontrar um pouco sobre a história náutica do estado com documentos e maquetes importantes que datam ainda da época do Brasil Colônia. A entrada é paga.

Forte ou Farol da Barra, em Salvador, BA. <br /> Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Forte ou Farol da Barra, em Salvador, BA.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Passeando pela cidade você encontra ainda muitos poucos monumentos históricos. Como citamos, Salvador é, por conta própria, um grande museu, com prédios, ruas e parques que fizeram parte da construção do nosso país. Tudo por aqui respira história e você com certeza vai se encantar.

 

Turismo Cultural

Salvador também respira cultura. Vira e mexe você encontra um evento que promove o que há de mais tradicional na cidade. Dá para curtir uma atração por dia facilmente e se encantar com o que o povo dessa cidade é capaz de criar. São shows, eventos teatrais, museus, monumentos e muito mais.

Fundação Casa de Jorge Amado

Um dos maiores nomes da cultura baiana ganhou uma fundação em sua homenagem e foi uma ação mais que justa do Governo do Estado. A Fundação Casa de Jorge Amado funciona como uma organização não-governamental, instalada no Largo do Pelourinho, ao lado do Museu da Cidade, e é onde você encontra as principais obras do autor, além de um pouco da sua história pública e privada.

Fundação Casa de Jorge Amado, no Pelourinho, Salvador, BA. Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Fundação Casa de Jorge Amado, no Pelourinho, Salvador, BA.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Além da exposição permanente, você ainda tem diversos eventos que acontecem durante o ano inteiro na Fundação Casa de Jorge Amado. Feiras, cursos, oficinas e muito mais fazem parte da programação do local. Dependendo do evento, a visitação na Fundação é cobrada e esse valor revertido completamente para a manutenção do espaço. Não deixe de visitar o lugar e tirar a tradicional foto nas escadarias da fundação.

Largo do Pelourinho

É um dos mais famosos do Centro Histórico. Você com certeza já viu o Largo do Pelourinho na televisão, pois é onde acontecem os tradicionais shows do Olodum durante os jogos do Brasil. Também aqui é feito o carnaval do Pelourinho, São João e diversas outras festas.

Largo do Pelourinho, área histórica de Salvador, BA. Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Largo do Pelourinho, área histórica de Salvador, BA.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

No largo você também vai encontrar uma casa bem especial, que foi cenário para Michael Jackson gravar seu clipe “They don’t care about us”. Estando lá você pode até tirar uma foto com a imagem em papelão que está na sacada da casa.

Terreiro de Jesus

Porta de entrada para o Pelourinho, para quem vem do Elevador Lacerda, o Terreiro de Jesus poderia até entrar na lista de atrativos históricos, mas a importância cultural dele para a cidade de Salvador acabou se destacando ainda mais. O local é uma praça, uma das primeiras da cidade inclusive.

Porta de entrada para o Pelourinho, via Terreiro de Jesus, em Salvador, BA. Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Porta de entrada para o Pelourinho, via Terreiro de Jesus, em Salvador, BA.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

O largo foi inaugurado em 1550, quando Tomé de Sousa fundou a cidade de Salvador e inaugurou o Colégio de Jesuítas na região. A partir da criação, passou então a ser frequentado por padres jesuítas da Companhia de Jesus, justamente o que acabou dando o apelido ao local. Oficialmente, a praça se chama 15 de Novembro.

Praça 15 de Novembro, conhecida como Terreiro de Jesus, no Pelourinho, em Salvador, BA. Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Praça 15 de Novembro, conhecida como Terreiro de Jesus, no Pelourinho, em Salvador, BA.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Com o passar dos anos, o Terreiro de Jesus tornou-se ponto de encontro de diversas pessoas que estavam na cidade e buscavam encontrar amigos para tomar uma cerveja e jogar conversa fora. Hoje, você vai encontrar uma praça bem movimentada e alegre, com som diversos, bares, restaurantes e muitas barraquinhas de petiscos, sem deixar de lado, claro, as comidas típicas da Bahia. É muito gostoso passar um final de tarde por lá, principalmente aos sábados, quando bandinhas de fanfarra desfilam pelas redondezas. Aos domingos, é a vez do samba tomar de conta.

Memorial Irmã Dulce

A jovem Maria Rita de Souza Brito Lopes Pontes, adotou o nome Dulce, em homenagem à sua mãe que falecera e, desde os 13 anos de idade, passou a se dedicar a obras de caridade. Tornou-se freira, mesmo sendo recusada pelo Convento do Desterro, devido a sua pouca idade. Mudando-se para Sergipe, a jovem entrou para a Congregação das Irmãs Missionárias da Imaculada Conceição da Mãe de Deus em 1933, quando enfim começou definitivamente sua vida e dedicação religiosa.

Saído da congregação, Dulce voltou para a Bahia e fundou, na cidade de Salvador, a União Operária São Francisco e, posteriormente, o Colégio Santo Antônio. Localizados no bairro da Massaranduba, essas obras cresceram rapidamente por atender uma quantidade grande de pessoas pobres, doentes e com fome que moravam pelas ruas da cidade.

Apesar de pouco espaço e recursos, pois funcionava no galinheiro do Convento de Santo Antônio, Irmã Dulce dava toda assistência que essas pessoas precisavam. Caindo nas graças de políticos locais, recebeu a bênção e o presente de um hospital inteiro, o Hospital Santo Antônio, onde até hoje funciona o projeto Obras Sociais Irmã Dulce. O “Anjo Bom da Bahia”, como é conhecida, faleceu em 1992, mas seu trabalho se perpetua até hoje, sendo um dos mais importantes da cidade.

Você pode visitar as Obras Sociais Irmã Dulce e conhecer um pouco da história dessa mulher de fibra e coragem, além de ver um pouco sobre tudo o que ela fez pela cidade de Salvador.

Praça Castro Alves

Como já canta Caetano Veloso em seu “Frevo Novo”, “A Praça Castro Alves é do povo, como o céu é do avião…”. Ponto de encontro dos trios elétricos durante o carnaval da cidade, essa praça foi criada no século 16, como a Porta de São Bento, onde ficava o mosteiro de mesmo nome. Em 1812, quando o Theatro São João foi criado, o largo ganhou nome de Praça.

Foi justamente os encontros culturais que aconteciam na praça que fez com que o prefeito mandasse construir uma estátua em homenagem a um dos maiores poetas da Bahia, exatamente 10 anos após a sua morte. O local ganhou ainda mais fama e hoje, mesmo fora da época carnavalesca, é bastante movimentado. Você pode também curtir um pôr do sol daqui de cima que é de encantar.

Farol da Barra

Cartão-postal de Salvador, o Farol da Barra entra nessa lista pelo fato de ser um ótimo ponto de encontro das diversas culturas da Bahia. Todo dia, sempre aos finais das tardes, grupos culturais diversos se reúnem atrás do farol para curtir o pôr do sol mais tradicional de Salvador. Você vai encontrar companhia para fazer meditação, músicos independentes que se juntam para fazer aquele som acústico, apresentações de artistas de rua e tudo o que você puder imaginar.

Pôr do sol no Farol da Barra, o mais tradicional de Salvador, BA. <br /> Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Pôr do sol no Farol da Barra, o mais tradicional de Salvador, BA.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

O melhor de tudo é que, além de ser algo de graça, você vai conhecer muita gente legal e fazer novos amigos. Dependendo da época da sua viagem, o Farol da Barra também serve de palco para shows e eventos culturais da cidade. A Fun Fest, por exemplo, que aconteceu todo o período da Copa do Mundo de Futebol, foi feita lá. O Réveillon de Salvador também foi realizado por muitos anos nessa região.

 

Atrativos e Vida Noturna

A noite de Salvador é bastante agitada. Você consegue encontrar lugares para todos os gostos e bolsos, mas não precisa se preocupar achando que vai ficar em casa sem ter nada para fazer depois de um dia circulando pela Barra ou pelo Centro Histórico. Os atrativos noturnos daqui também são um ponto turístico a parte. Você terá a oportunidade de ver ensaios de bandas que gosta, curtir barzinhos pela cidade inteira, ver apresentações em praças, se deliciar com o tradicional acarajé em um típico Largo baiano ou cair na pista das melhores boates da cidade.

O Rio Vermelho é considerado o bairro mais boêmio da cidade. Para quem deseja curtir a noite em diversos ambientes e não quer se deslocar muito de um lugar para o outro, vai se encontrar por lá. De bares até restaurantes de culinária região, o bairro tem um cantinho especial para todo mundo. O largo do Acarajé da Dinha é o mais famoso daqui e você terá muitas outras opções ao redor. É só escolher a sua preferida e curtir.

Pertinho do Largo do Acarajé da Dinha você vai encontrar o Mercado do Peixe. Esse é um espaço cheio de barracas e onde você poderá tomar sua cerveja e petiscos diferentes – sempre ligados à frutos do mar – até o amanhecer. O nome é devido aqui ter sido de fato um mercado de vendas de peixe e que se popularizou como mais uma opção para diversão noturna em Salvador.

Na outra ponta da orla de Salvador, na Praia de Itapuã, você vai encontrar outra barraca famosa de acarajé. A baiana Cira do Acarajé fica no Largo da Mariquita e atende turistas e baianos há mais de 20 anos. Dependendo do dia da semana, você terá que enfrentar uma pequena fila, mas valerá a pena, pois esse é um dos acarajés mais famosos e gostosos do Brasil.

Barraquinhas na Praia de Itapuã, em Salvador, BA. <br /> Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Barraquinhas na Praia de Itapuã, em Salvador, BA.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

A Ribeira é um bairro já mais perto do Centro Histórico e que também serve como opção para diversão noturna em Salvador. É aqui onde você encontra a tradicional sorveteria da Ribeira, para experimentar o sorvete mais famoso da Bahia. Aos notívagos, feiras, mercados abertos, shows em praça pública, clubes e boates fazem parte do hall de opções para quem quer curtir uma balada tipicamente baiana.

Outra opção, essa já para quem gosta de barzinho, são as barracas do Imbui. O bairro tornou-se point depois que passou por uma revitalização e atrai cada vez mais, pessoas de todas as idades que querem conversar, ver gente bonita e tomar aquela cerveja gelada à noite.

Já para o centro de Salvador, você vai encontrar o Pelourinho que também sempre terá uma atração para você curtir bastante. Os largos espalhados pelo bairro oferecem shows diversos e durante a noite toda, qualquer dia da semana. Em épocas de alta estação, também acontecem os famosos ensaios de verão.

 

Praias de Salvador

Litoral, Nordeste, difícil é deixar de lado as praias urbanas, mesmo com tantos atrativos para aproveitar a cidade. Assim como em outras capitais da região, dependendo da época das suas férias, você vai encontrar muito movimento pelas areias de Salvador. Então é sempre bom se programar, principalmente se você curte praias menos agitadas e quer ficar mais sossegado.

Quando se fala em banho, não são todas as praias de Salvador que lhe permitirão esse tipo de acesso. Algumas são indicadas apenas para passeio no calçadão, sentar na areia, comer aquele acarajé, tomar a cervejinha ou a água de coco gelada e só. Outras já dá para se aventurar sobre as ondas, mas não chegam a ser praias paradisíacas. Assim como acontece com a maioria das praias das capitais turísticas do Brasil, o mar anda um pouco sujo e não dá para curtir tanto por isso.

Fizemos uma seleção das melhores praias de Salvador para curtir de dia e de noite, com muito sol e calor. Veja.

Praia do Porto da Barra

A Praia do Porto da Barra é a mais famosa entre os turistas. Você pode curtir o mar, a areia, a passagem e as pessoas tranquilamente por aqui. Aos domingos, os guarda-sóis (ou sombreiros) são um pouco concorridos, então se você tem o seu, leve-o. Em algumas partes da praia você encontra pedras, o que pode ser complicado para mergulho. Essas, por outro lado, favorecem as piscinas naturais, proporcionando um banho mais delicioso, principalmente para quem está com crianças.

Praia do Porto da Barra, em Salvador, BA. Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Praia do Porto da Barra, em Salvador, BA.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Praia do Farol da Barra

Um pouco mais para frente, no mesmo bairro, você tem a Praia do Farol da Barra. O esquema é basicamente o mesmo que do Porto da Barra. Muitas ondas, pedras em algumas partes, favorecendo o surgimento de piscinas naturais e um cenário maravilhoso. Essa praia é uma das preferidas do público gay-friendly. Sendo assim, se você é da turma LGBT, vai com certeza encontrar muita paquera por aqui.

Praia do Farol da Barra, em Salvador, BA. Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Praia do Farol da Barra, em Salvador, BA.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Praia de Ondina

Seguindo pela vizinhança, a Praia de Ondina é a próxima da nossa lista. Você não vai encontrar muito movimento por lá, mas não terá a mesma infraestrutura turística que as praias da Barra.

Para quem gosta de apenas dar um mergulho para relaxar, Ondina esse é o lugar perfeito. Cuidado apenas com as muitas pedras que há no fundo do mar.

Praia de Ondina, em Salvador, BA. Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Praia de Ondina, em Salvador, BA.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Praia do Rio Vermelho

No comecinho do Rio Vermelho você encontra a Praia do Buracão. Geralmente ela é mais conhecida por quem mora na região. Ela já fica mais escondida, precisando que você faça uma pequena caminhada pela areia. O final, por outro lado, é muito satisfatório. Você terá um cenário lindo, um lugar sossegado e poderá ficar super à vontade, sem gastar tanto.

Praia do Rio Vermelho, em Salvador, BA. Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Praia do Rio Vermelho, em Salvador, BA.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Já para o centro do bairro tem a praia do Rio Vermelho. Aqui as pessoas não vêm para tomar banho, mas apenas para admirar a paisagem. Se você estiver em Salvador no mês de fevereiro, mais precisamente no dia 2, aqui acontece a Festa de Iemanjá, a segunda maior festa popular e religiosa do estado.

Praia de Amaralina

Seguindo um pouco mais pela orla de Salvador, você encontra a Praia de Amaralina, que divide atenções entre surfistas e banhistas. Do lado direito há formação de ondas fortes, sendo muito frequentada por surfistas. Já no canto esquerdo, as águas são calmas e o banho ideal.

Praia de Amaralina, em Salvador, BA. Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Praia de Amaralina, em Salvador, BA.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Além disso, a Praia de Amaralina é um lindo ponto para mergulho, devido aos corais localizados no alto mar, que na maré baixa se tornam mais visíveis.

Praia de Pituba

Vizinha a Praia de Amaralina, Pituba não tem águas boas para banho. O passeio por ali deve ser na orla mesmo, que foi urbanizada e tem ótimas atrações, como ciclovia, pista de caminhada, equipamentos para musculação, além de quadras poliesportivas.

Orla da Praia de Pituba, em Salvador, BA. Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Orla da Praia de Pituba, em Salvador, BA.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Pituba ganha a noite, devido aos vários restaurantes requintados, muitos bares, alguns teatros, shoppings e casas de shows.

Praia de Armação, Praia de Jaguaribe e Praia de Piatã

Estas três são as praias urbanas de Salvador de maior popularidade entre moradores e turistas que querem aproveitar um passeio mais completo. Você poderá tomar seu banho em um mar mais tranquilo, limpo e encontrar algumas barracas servindo bebidas geladas e refrescantes. Também encontra muitas baianas de acarajé servindo o famoso bolinho como petisco. Assim como acontece nas praias da Barra, em épocas de alta estação, cada cantinho daqui é bem concorrido.

A Praia de Piatã é ótima para esportes náuticos devido parecer uma enseada de mar aberto. A turma jovem a noite se reúne no ‘Parque dos Coqueiros de Piatã’, um coqueiral implantado como parte da urbanização da orla.

Praia de Piatã, point jovem em Salvador, BA. Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Praia de Piatã, point jovem em Salvador, BA.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Já a Praia de Jaguaribe tem mar agitado, com ótimas ondas, sendo point dos surfistas, inclusive sede de vários campeonatos. As areias e o calçadão atraem os moradores para finais de semana tranquilos, só aproveitando os petiscos a beira-mar.

Praia de Jaguaribe, sede até de campeonatos de surf, em Salvador, BA. Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Praia de Jaguaribe, sede até de campeonatos de surf, em Salvador, BA.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Praia de Itapuã

A última praia da orla de Salvador é a famosa e boêmia Itapuã. Cenário para algumas canções famosas, essa praia também tem seus atrativos. Em algumas partes ela não é boa para banho, pois a água é um pouco suja e as ondas são muito violentas. Contudo, a parte da praia que fica mais próxima ao farol é bastante agradável, onde as pedras formam piscinas naturais na maré baixa, ideal para curtir também com as crianças.

Praia de Itapoã e suas pequenas piscinas naturais na maré baixa, em Salvador, BA. Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Praia de Itapoã e suas pequenas piscinas naturais na maré baixa, em Salvador, BA.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Na Praia de Itapuã também acontece uma famosa festa em homenagem a Iemanjá, no dia 2 de fevereiro. Vale a pena conhecer.

Praia do Flamengo, Lauro de Freitas e Stella Maris

Saindo um pouco da zona urbana de Salvador, mas permanecendo na região metropolitana da cidade, você tem as praias do Flamengo, de Lauro de Freitas e Stella Maris. Essas já possuem uma estrutura mais completa, um área super agradável e com um mar totalmente propício para banho, além de barracas muito bem estruturadas e cheias de opções saborosas para você experimentar.

Praia do Flamengo

Praia do Flamengo é um recanto tranquilo, conhecido por suas barracas pé na areia, que deixam os turistas confortáveis no seu dia de descanso.

Praia do Flamengo, na região metropolitana de Salvador, BA. Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Praia do Flamengo, na região metropolitana de Salvador, BA.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Praia Stella Maris

Uma praia em um bairro relativamente novo em Salvador e com muitos atrativos, especialmente suas charmosas barracas e os resorts a beira-mar com total conforto. Mesmo com ondas, o mar é ótimo para banhos, sendo compartilhado com os surfistas.

A badalada Praia Stella Maris, em Salvador, BA. Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

A badalada Praia Stella Maris, em Salvador, BA.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Agora que você já conhece as principais, é só escolher a sua praia preferida e curtir muito o sol da Bahia.

 

Circuito da Culinária Baiana

A culinária baiana é um pecado de tão deliciosa. Você encontra pratos típicos inventados pelo povo daqui e também variações de outras culturas, principalmente a africana. Todas as sextas-feiras é “dia de branco” como se fala por lá. É quando a maioria dos restaurantes servem apenas o famoso caruru. Feito a partir do quiabo e do camarão seco, ele é servido com arroz, farofa, feijão fradinho e peixe ou frango. Claro que você também encontra o caruru em outros dias da semana, mas às sextas é tradicional. Dizem que quem come comida baiana toda sexta é abençoado pelos santos da terra.

Outro prato típico de Salvador é o acarajé. O bolinho feito da massa do feijão branco, é frito em óleo de dendê e servido com camarão, salada de verdura, vatapá e caruru. Quando se fala em comida típica da Bahia, esse com certeza é o mais citado. Você encontra baiana em todo canto enquanto estiver em Salvador. Contudo, algumas são tradicionais e seus acarajés já viraram verdadeiras lendas. Cira, que fica em Itapuã e Dinha, que fica no Rio Vermelho são dois exemplos.

Comida típica baiana - gastronomia em alta em Salvador, BA. Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Comida típica baiana – gastronomia em alta em Salvador, BA.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Se o acarajé é o bolinho frito feito a partir da massa do feijão branco, alguém foi lá e cozinhou a massa, dando origem ao abará. Há quem ame os dois e há que prefira apenas um. O abará torna-se menos gorduroso, pois não tem óleo, mas não tem aquele crocante delicioso do acarajé. Ele é cozido em um panelão com água apenas e enrolado em uma folha de bananeira. O “recheio” é o mesmo: camarão, caruru, vatapá e salada.

Além desses tradicionais você terá outros pratos como o aberém, feito a partir do milho. Ele se parece bastante com o abará e também é cozido na folha de bananeira, mas o gosto é bem diferente. Há também o arrumadinho, que mesmo não sendo criação de baianos, é encontrado aqui com muita frequência. O prato mistura farofa, carne seca, feijão verde e vinagrete, tudo organizado lado a lado.

De petisco você encontra a Banana Real, que é um pastel com recheio de banana e polvilhado no açúcar e na canela. O Bolinho de Estudante, encontrado nas barracas de baianas de acarajé, sendo um bolinho de goma frito e também polvilhado no açúcar e na canela. O Beiju ou Tapioca, muito comum em toda a região Nordeste; o cuscuz doce ou cuscuz branco, feito no mesmo processo do cuscuz tradicional, mas que leva leite de coco e leite condensado, deixando-o bem consistente e cremoso. Além da tradicional cocada baiana, que pode ser seca ou mole. Elas são encontradas também em barracas de baianas do acarajé.

 

Onde ficar

Hospedar-se em Salvador não é uma tarefa complicada. Em toda a cidade você vai encontrar opções de hotéis, pousadas, hostel e até mesmo imóveis que são alugados por temporada. Dependendo do motivo da sua viagem, ficar em alguns bairros será bem mais indicado. Por exemplo, para viagens no período do carnaval, o melhor é sempre ficar nas redondezas do circuito. Isso inclui bairros como Barra, Graça, Campo Grande, Ondina, Rio Vermelho, Chame-Chame, etc. Dessa forma, você evita gastos com táxi, que também são bem concorridos após a festa.

Já para quem vai pensando nas festas de Réveillon, ficar no Centro Histórico é mais apropriado. O Réveillon da Cidade acontece em frente ao Mercado Modelo e você estando no Pelourinho, por exemplo, conseguirá deslocar-se mais facilmente e, dependendo da estadia, nem precisará do auxílio de táxis.

Para aqueles turistas que querem um local completamente sossegado, Vilas do Atlântico, Stella Maris ou a Praia do Flamengo são três opções de hospedagem maravilhosas. O único problema é que você precisará de alugar um carro, pois o deslocamento para os pontos turísticos mais tradicionais fica bem distante. Caso não tenha problemas em usar o transporte público da cidade, há ônibus circulando com bastante frequência e realizando esse trajeto.

Ficando no bairro Rio Vermelho ou Itapuã, você já tem ótimas opções de bares e boates para curtir sem se preocupar com transporte. Contudo, já deixa a desejar para aqueles que querem algo mais sossegado e sem trânsito mais agitado. A Barra também é uma opção de bairro muito gostosa e acessível para turistas, mas exige um pouco mais de investimento financeiro.

Sendo assim, definir bem o lugar onde vai ficar ajuda muito a economizar e evitar longos deslocamentos.

 

Onde comer

Locais para comer também seguem uma linha de raciocínio bastante semelhante ao de hospedagem. Saber o que você quer comer naquele momento e quanto está disposto a investir nisso, diz muito da indicação de lugar que terá na cidade. O Ki Mukeka, que fica na Praia da Armação, tem a moqueca baiana mais tradicional da cidade. Além desse prato, o restaurante oferece opções de outras culinárias envolvendo frutos do mar. Você vai achar uma delícia cada um dos pratos aqui.

Outro restaurante muito famoso em Salvador e com um cardápio rico em frutos do mar é o Sorriso de Dadá. Ele fica no Pelourinho e também serve pratos típicos da comida baiana. Você pode comer aqui todos os dias que terá uma novidade para experimentar. O Soho já é para aqueles que querem matar a saudade de uma comidinha japonesa. São muitas outras opções que também fogem da comida tradicional nordestina. Você com certeza terá uma opção diferente para cada dia que estiver por aqui.

 

Quando ir

Responder essa pergunta é muito fácil, pois Salvador é uma cidade atrativa durante o ano inteiro. Independente do mês que você chegar por aqui, terão opções de diversão na cidade. No verão, logo no início do ano, é, talvez, a época mais agitada. Hotéis estão repletos de turistas, a cidade está sempre cheia de festas para ir, ensaios das bandas para o carnaval, apresentações culturais e muito mais. Para quem deseja descansar, curtir uma praia tranquilamente, não enfrentar muitas filas em restaurantes e atrações, essa definitivamente não é uma boa época para visitar a cidade.

Em fevereiro-março, quando acontece geralmente o Carnaval, a cidade de Salvador para totalmente e dedica-se exclusivamente à festa. Então se você se hospeda longe do circuito, terá a opção de curtir alguns lugares com um pouco mais de tranquilidade. Por outro lado, se deseja fazer o roteiro turístico tradicional, terá que deixar para uma próxima vez. O Farol da Barra fica interditado nos dias de festa, o Pelourinho muda a sua rotina de funcionamento e as ruas param para ver os trios passarem.

De abril até junho, a cidade é muito tranquila. Não tem grandes eventos acontecendo, sendo perfeito para aproveitar o solzão tipicamente nordestino. O mês de junho há um diferencial bom e ruim em Salvador. Por ser o mês das festas juninas, a cidade fica praticamente deserta, sendo também muito boa para quem deseja tranquilidade. Contudo, você não tem tanta opção de festas, pois os grandes eventos mudam-se para o interior, onde o São João é bastante forte. Dá ainda para aproveitar um pouco dessa festa típica no Pelourinho, que traz ótimas atrações para quem não quis ou não pode viajar.

O diferencial ruim é que começam as épocas de chuva na cidade. Com isso, o sol de Salvador já não é dos mais fortes e os dias dependem basicamente das nuvens se encontrarem carregadas ou não. Esse período mais chuvoso se estende até meados de setembro e outubro. Se você não se prende ao calor do Nordeste e quer mesmo é curtir um destino tranquilo, sereno e bonito, essa é a época de visitar Salvador.

Já a partir de outubro, a movimentação de preparação para o verão começa. Até novembro os eventos são mais calmos e a circulação de turistas ainda é pouca na cidade. Também é um período muito bom para quem deseja apenas descansar. Da metade de novembro até o Carnaval é que o clima esquenta, os timbaus tocam e o povo faz a festa em terras soteropolitanas.

“Carnaval da Bahia, oitava maravilha…”

O Carnaval de Salvador é conhecido no mundo inteiro. Para quem gosta de uma folia na rua, não vai encontrar destino melhor do que esses. Disputando o título de Melhor Carnaval de Rua do Brasil com Recife, a festa momesca baiana traz o que tem de melhor do Axé Music – ritmo tipicamente baiano –, além de uma mescla com sons de todos os tipos e para todos os gostos.

Trio elétrico puxando a multidão no Carnaval de Salvador, BA. Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Trio elétrico puxando a multidão no Carnaval de Salvador, BA.
Fotos de Ricardo Junior / www.ricardojuniorfotografias.com.br

Você vai encontrar artísticas locais, que se apresentam em seus trios todos os dias, além de atrações sertanejas, bandas de forró, samba, ritmos africanos e até mesmo DJ’s. Vale a pena curtir o carnaval de Salvador pelo menos uma vez na vida. É uma experiência bem diferente e muito gostosa para quem gosta da folia de rua.

Furdunço

Pode-se dizer que o Furduço é o pré-carnaval de Salvador. Mesmo em janeiro já sendo possível encontrar algumas festas de rua, desde 2013 esse desfile foi adotado pela prefeitura da capital como oficial. A ideia começou com um bloquinho independente, onde o cantor Carlinhos Brown desfilou na quarta-feira antes de a folia começar com seu bloco independente na Avenida 7.

O movimento atraiu tanta gente e caiu no gosto dos foliões que estavam pela cidade, que o então prefeito ACM Neto, resolveu oficializar o negócio e investir mais. O Furdunço então passou a acontecer uma semana antes do carnaval, com desfiles de mini-trios na orla de Salvador, começando no Clube Espanhol (Bairro Ondina) e terminando no Farol da Barra.

Essa é uma ótima alternativa para quem quer curtir a folia baiana, mas não tem ainda coragem de enfrentar as 6, 7 horas de bloco nos dias oficiais. Também para quem não pode investir em abadá, já que o Furdunço é totalmente gratuito. Em 2015, artistas como Banda EVA, Olodum, Parangolé, Ju Morais, Armandinho e outros passaram pelo circuito.

Circuito Barra-Ondina

O Circuito Barra-Ondina é assim chamado por acontecer na avenida da orla de Salvador, compreendendo esses dois bairros. São 4,5 quilômetros de extensão, percorridos pela Avenida Oceânica em sua maior parte. Oficialmente conhecido como Circuito Dodô, você terá um carnaval mais alternativo, que começa sempre no final da tarde e vai até o amanhecer e com blocos que desfilam por cerca de 5 horas consecutivas e sem intervalos.

No decorrer do circuito Dodô, há camarotes, considerados os mais caros do carnaval. Quem não tem abadá, vai curtir uma pipoca um pouco mais agitada e com pouco espaço. A dica é não levar muita coisa de valor, pois como é um circuito voltado mais para o turista, é comum ver alguns poucos assaltos por aqui.

Artistas diversos desfilam com seus blocos e entre as características do carnaval na Barra e Ondina está um público mais jovem e blocos alternativos. Os famosos “blocos de pipoca” saem aqui. Esses são trios que desfilam sem corda, o que significa que você pode acompanhá-lo sem a necessidade de um abadá. A percussora dessa ideia foi a cantora Daniela Mercury e foi seguida por outros artistas como Tatau, Carlinhos Brown e Ivete, que faz seu famoso arrastão toda quarta-feira de cinzas.

Circuito Campo Grande

Já o Circuito Osmar, ou Circuito Campo Grande, acontece no centro da cidade, passando pela famosa Avenida Sete de Setembro e terminando na Praça Castro Alves. Esse percurso é considerado o mais tradicional do carnaval, por ser onde os primeiros blocos começaram a desfilar. De quinta até sábado, os blocos de samba e cultura afro desfilam, sempre no período da noite. Já de domingo até terça-feira você terá as bandas mais conhecidas, saindo em seus blocos mais tradicionais.

O desfile aqui acontece inversamente ao do circuito Barra-Ondina. Enquanto esse é no final da tarde, pela noite adentro, o circuito do Campo Grande começa meio dia e termina sempre à noite. É indicado você experimentar pelo menos um bloco de cada circuito. São duas sensações diferentes e até mesmo os artistas buscam um clima diferenciado. Na Barra você terá um som mais animado, mais para cima de fato. No Campo Grande, um axé mais de raiz e tradicional.

O trajeto do Circuito Osmar tem 7 quilômetros aproximadamente, começando na Praça do Campo Grande e seguindo até a dispersão, que acontece na Praça da Sé. Alguns blocos fazem o percurso exatamente o contrário, começando na Praça da Sé e terminando na Praça do Campo Grande.

Carnaval Cultural no Pelourinho

Ou Circuito Batatinha, como é chamado, traz um carnaval mais tradicional, com bandinhas de fanfarras e apresentações de bandas tocando apenas marchinhas de carnaval. Para quem quer fugir da agitação dos blocos, essa é uma opção deliciosa. Você também pode curtir algum bloco no circuito do Campo Grande e depois subir para o Pelourinho e aproveitar o final da noite aqui.

Além das bandinhas, você vai encontrar bares, restaurantes e muitas barracas por todo o Pelourinho. Então quem não quer cair na folia literalmente, pode ficar sentado, curtindo a festa e assistindo de camarote todas as atrações. O Carnaval Cultural do Pelourinho é totalmente gratuito e acontece sempre à noite, a partir das 19 horas.

Camarotes e Abadás

A compra de camarotes e abadás pode ser feita antecipadamente ou na hora. No segundo caso, há feiras de abadá onde cambistas e foliões se reúnem para vender e/ou trocar seus blocos. É uma alternativa muito boa para quem deseja investir menos na camisa e curtir a folia numa boa.

 

Como você pode ver, Salvador é um destino para todos. Uma cidade que respira alegria. A famosa frase “Sorria, você está na Bahia” não foi dada como slogan para a cidade à toa. Aqui é difícil sentir-se triste.

Então, “Você já foi à Bahia nêga?… então vá!

Sabe de mais alguma dica sobre essa cidade linda que não foi citada em nosso guia? Deixe seu comentário!

Por Guia Viagens Brasil Texto: Fotos:  23 de outubro de 2015

Receba dicas de viagem


Insira seu email para receber artigos exclusivos e dicas de passeios imperdíveis!





Gostou? Divulgue este artigo para seus amigos!

Deixe o seu comentário

DICAS RECENTES DO BLOG

GUIAS DE VIAGENS GRÁTIS - BAIXE AGORA O SEU!

Loja
Encontre os melhores ebooks de dicas de viagem pelo Brasil

Procurando dicas de viagens pelo Brasil?
Cadastre seu email e receba dicas exclusivas:

Editorial - Contato - Anuncie Grátis - Área de Anunciantes - Seja um colaborador

© Copyright 2013 - 2017 - Guia Viagens Brasil - Mapa do Site