6 motivos para visitar URUBICI, URUPEMA e SÃO JOAQUIM no inverno

Publicidade

Translator / Tradutor

É só começar o friozinho para as pessoas começarem a procurar locais aconchegantes e charmosos para aproveitar as estações de outono e inverno. E as belezas que a Serra Catarinense oferece são muito especiais e vale a pena entrar no seu roteiro para as próximas viagens.

As cidades de Urubici, Urupema e São Joaquim fazem parte da região mais fria do Brasil, com temperatura abaixo de zero e neve ocasional no alto inverno. O trio disputa acirradamente qual é a mais gelada e a mais receptiva ao turismo, já que todas possuem uma ótima infraestrutura para receber os viajantes, com uma boa rede hoteleira, deliciosas opções gastronômicas e uma natureza deslumbrante que agrada famílias, casais e aventureiros que desejam desbravá-la.

Para aproveitar ao máximo as atrações especiais dessas cidades, selecionamos seis motivos irresistíveis para visitá-las logo. Só não esqueça os agasalhos especiais!

1 – As belezas naturais de Urubici

Se o tempo é curto, use um carro para visitar os pontos turísticos de Urubici em apenas um dia, ou opte por um tour oferecido pelas agências da cidade. Com uma paisagem mais encantadora que a outra, o difícil será não se deixar hipnotizar por elas.

A cidade fica no Vale do Rio Canoas, cercado de montanhas, rios e cascatas, a 170 quilômetros de Florianópolis. Além das belezas naturais e da forte vocação ao ecoturismo, Urubici é a Terra das Hortaliças que na época da florada encantam os visitantes e moradores.

foto-morro-da-igreja-em-urubici-sc-brasil-0251

A preservação da natureza é um grande destaque na viagem a Urubici, que tem uma população focada em cuidar de sua cidade. Tudo é limpo, organizado e informado e há guias turísticos disponíveis em hotéis, pousadas e na secretaria de cultura, para auxiliar os que desejam se aventurar em trilhas, rapel e trekking.

O início do passeio é o Morro da Igreja, considerado o ponto habitado mais alto do Sul do Brasil, onde é possível observar o litoral catarinense.  Para chegar até lá a estrada é bem estreita e não está em perfeitas condições e o cuidado deve ser dobrado, principalmente em horário de neblina.

foto-morro-da-igreja-em-urubici-sc-brasil-0038

No inverno o local recebe neve e geadas fortíssimas e é lá que está localizada a Pedra Furada, principal atração da cidade. Feita por uma formação rochosa que a torna diferente das outras por ter uma circunferência no meio, seu acesso é por uma trilha difícil de oito horas de ida e volta, que exige preparo físico e autorização da aeronáutica, dona do terreno.

foto-morro-da-igreja-em-urubici-sc-brasil-0070

Apesar do frio, é impossível não visitar e até aproveitar as cachoeiras e cascatas do Vale. No caminho do Morro da Igreja há a Cascata Véu de Noiva, com queda d’água de 60 metros de altura. Localizada em propriedade particular, é cobrada uma entrada para visita e para utilizar a tirolesa que há no local. No inverno, as águas da Véu de Noiva congelam, formando uma imagem exclusiva.

foto-cascata-veu-da-noiva-em-uribici-sc-brasil-0269

Não distante, está a Cascata do Avencal, com queda livre de 100 m de altura e perfeita para a prática de rapel. Para chegar até ela pode ser de carro, pela parte de cima da cascata ou se aventurar pela parte de baixo, por uma trilha de 20 minutos e que passa por uma mata fechada e com pedras escorregadias.

Clique aqui e veja imagens em 360 graus de Urubici.

Ela fica numa propriedade particular, onde é cobrada uma taxa para entrar e que vale cada centavo. A Cascata ainda tem dois mirantes com ângulos diferentes da queda d’água, passeio de pedalinho num lago próximo, tirolesa e o Morro do Avencal, com inscrições rupestres de mais de 4 mil anos.

Depois dessa visita, a parada é no Morro do Campestre, que abriga uma formação rochosa peculiar com altura de 1.380 metros. De lá a vista da região é incrível, em especial a tardinha, antes do pôr do sol.

foto-morro-do-campestre-em-urubici-sc-brasil-0517

Termine o passeio pelo caminho da Serra do Corvo Branco. Ela foi criada pelo homem, que aproveitou a natureza para criar uma obra de arte. Cheia de curvas, com paredões para vários precipícios e um mirante espetacular.

2 – Passeando em São Joaquim

A cidade de São Joaquim é a mais visitada da Serra Catarinense, pela beleza proporcionada pelo inverno. É comum cair neve no inverno, que apresenta temperaturas constantes abaixo de zero nessa época. Está a 227 km de Florianópolis, possui 25 mil habitantes e sua estrutura é pequena, com muitas placas de sinalização para levar até os pontos turísticos.

Combinando com o clima, São Joaquim é a Terra da Maçã, produzindo as melhores frutas do país e também com excelentes vinhedos. Em um dia com carro, é possível conhecer suas principais atrações, que se concentram em especial as fazendas de maçãs e a fabricação de vinhos.

O passeio começa pela Praça João Ribeiro, no centro da cidade. É uma pela praça com esculturas, árvores e lago, que congelam no inverno fazendo pequenas obras de arte. Em frente a ela há a Igreja Matriz, que tem uma estrutura aconchegante para acomodar os turistas com fogueiras e chimarrão.

Próximo está a escadaria Belvedere, rústica e sinuosa, ela leva a uma visão panorâmica da cidade. Ao redor há bons restaurantes com comidas típicas da região serrana.

Entre março e maio há a Festa Nacional da Maçã, com shows e atividades culturais aliadas a gastronomia com a fruta. Bem próximo do Parque de Exposições, onde ocorre a festa, está a Estação Experimental da Epagri, com a primeira macieira plantada no Brasil.

foto-turismo-rural-e gastronomia-em-urubici-sc-brasil-0768

A partir de maio, a beleza das floradas da macieiras e das cerejeiras encantam os turistas, formando uma paisagem colorida pela cidade.

A Vinícola Villa Francioni é tradicional e tem visitação programada, que dura 1h30 e conta toda a história da empresa, com demonstração da produção de vinho desde a plantação das uvas até estarem prontos para beber. A visita termina com degustação de vinhos fabricados ali e o ingresso sai por R$ 30,00.

No retorno para São Joaquim há o Mirante dos Pinheiros, também chamado de Mirante das Araucárias. Uma parada para apreciar a paisagem das árvores da região, que formam um belo tapete verde.

O último ponto do roteiro é o Snow Valley, um parque de aventuras que funciona o ano inteiro, com arvorismos, pêndulo, tirolesa, escalada e trilhas, alojamento, camping e um café colonial imperdível.

3 – Esperar a neve em Urupema

Considerada a mais fria do país, Urupema fica a 1450 m do nível do mar. Sua principal atração é o Morro das Antenas, com 1750 m de altitude e o ponto mais alto do Estado, com as temperaturas mais baixas e que frequentemente tem neve para emoldurar sua beleza.

neve-serra-catarinense

O local é de fácil acesso de carro, a apenas 7 km do centro da cidade. O passeio até lá também reserva surpresas como a cascata que nos dias mais frios fica totalmente congelada.

As cavalgadas são uma das principais atrações da região, que passam por diversas fazendas antigas e muito bem preservadas, além de desbravar a natureza local.

A cidade também é conhecida pelas águas cristalinas, que ajuda na criação de trutas. Em junho é realizado o Festival das Trutas, trazendo vários pratos com o peixe além de bailes e outros eventos culturais.

Você está conferindo os motivos para visitar Urubici, Urupema e São Joaquim no inverno. Se está gostando das dicas, compartilhe no seu Facebook, ou tuíte, e convide os amigos!

Compartilhe no FacebookCompartilhe no Twitter

4 – Delícias culinárias da Serra Catarinense

As delícias encontradas na Serra Catarinense são especiais para enfrentar os dias gelados de inverno. Uma das atrações culinárias é a carne frescal, que é curtida com sal grosso por 12 horas para que desidrate, onde é deixada ao ar livre até que vire churrasco.

Outra iguaria da região é a comida tropeira, feitas em panelas de ferro. Eram levadas pelos tropeiros pelas suas viagens e é considerada rústica por levar vários ingredientes em seu preparo como carne suína, bovina, pinhão, legumes e especiarias. Dentre elas estão o arroz de carreteiro, o feijão tropeiro, a paçoca de pinhão e o entrevero lageano.

foto-turismo-rural-e gastronomia-em-urubici-sc-brasil-0720

O pinhão é uma semente muito consumida na região e que está em quase todos os pratos típicos. Ela pode ser cozida em água fervente ou simplesmente assada e servida com sal. Já as trutas também são bastante encontradas na região pelos seus lagos gelados. Sua carne delicada e muito saborosa fica perfeita em várias receitas.

foto-turismo-rural-e gastronomia-em-urubici-sc-brasil-0364

Para acompanhar, a região não abre mão de uma boa taça de vinho e de espumantes em qualquer hora do dia e da noite.

5 – Cavalgada pela Rota Santana

A Rota Santana fica na cidade de Urupema, onde o passeio à cavalo é irresistível. São dois dias de cavalgada, numa programação cujo trajeto leva a trechos históricos e a natureza.

O passeio começa pela Fazenda do Barreiro, fundada em 1782 e que permanece com a mesma família, passando de geração para geração e que hoje é uma pousada especial. Ela oferece atrações típicas do folclore da região, além de atividades como pescaria, botes para descer nos rios do local e caminhadas.

foto-turismo-rural-e gastronomia-em-urubici-sc-brasil-0560

Dos cinco locais que as cavalgadas percorrem, há ainda a Fazenda da Divisa, Sítio Senadinho, Fazenda Morro Agudo e Fazenda Santo Antônio. E o mais interessante é a vivência de cavalgar pela Serra Catarinense tal como os antigos tropeiros da região.

6 – Percorrer a Serra do Rio do Rastro

Localizada na cidade de Bom Jardim da Serra, a Serra do Rio do Rastro possui 12 km de extensão, num caminho de inúmeras curvas sinuosas e espetaculares. O caminho leva ao mirante de 1450 metros de altitude e que apresenta todo o trajeto da Serra e uma vista deslumbrante da região.

foto-serra-do-rio-do-rastro-em-sc-brasil-0604

No mirante há uma boa infraestrutura de loja, bares e banheiros para recarregar as energias para a volta e também muitos quatis, que ficam pertinho dos visitantes. Mas, o principal atrativo é mesmo a aventura de passar pela estrada, envolta de árvores, morros, rochas e emoção, já que é bastante alta e estreita.

quati-serra-do-rio-do-rastro

A pista é toda iluminada e é feita de concreto, que permite maior estabilidade em dias de neve e chuva. O melhor horário para o passeio é de 11h às 15h, para evitar as neblinas. Se estiver sol, a vista fica limpa e muito mais bonita!

***
Gostou das sugestões? Que tal agora conhecer essa bela serra e aproveitar as aventuras, vivências culturais e, principalmente, o aconchego das baixas temperaturas brasileiras e até mesmo da neve? A Serra Catarinense te aguarda!

Por Guia Viagens Brasil Texto: Fotos:  24 de maio de 2017

Receba dicas de viagem


Insira seu email para receber artigos exclusivos e dicas de passeios imperdíveis!





Gostou? Divulgue este artigo para seus amigos!

Deixe o seu comentário

DICAS RECENTES DO BLOG

Procurando dicas de viagens pelo Brasil?
Cadastre seu email e receba dicas exclusivas:

Editorial - Contato - Anuncie Grátis - Área de Anunciantes - Seja um colaborador

© Copyright 2013 - 2017 - Guia Viagens Brasil - Mapa do Site